Pablo Neruda – Poesia


Poema
Pablo NerudaArtes Plásticas,Pinturas,Blog do Mesquita

Curvando-se ao longo das noites,
eu lanço minhas redes tristes
naquele mar que sacode
seus olhos oceânicos.
Pássaros noturnos bicam
as primeiras estrelas que brilham
como a minha alma quando eu te amo.

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

T.S.Eliot – Poesia – Poemas – Versos na tarde – 11/05/2017

A canção de amor de J. Alfred Prufrock - Parte IV T.S.Eliot¹ E a tarde e o crepúsculo tão docemente adormecem! Por longos dedos acariciados, Entorpecidos . . . exangues ....

May 11, 2017, 9:00 pm
Demócrito Rocha - Versos na tarde - 08/03/2017

O Rio Jaguaribe Demócrito Rocha¹ O Rio Jaguaribe é uma artéria aberta por onde escorre e se perde o sangue do Ceará. O mar não se tinge de vermelho porque...

March 8, 2017, 9:00 pm
Renata Villela - Reflexões na tarde - 18/01/2015

Deficiente Renata Villela ¹ "Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que...

January 18, 2015, 9:00 pm
Manoel de Barros - Frase do dia - 29/07/2015

"Tentei descobrir na alma alguma coisa mais profunda do que não saber nada sobre as coisas profundas. Consegui não descobrir." Manoel de Barros

July 29, 2015, 10:58 am
Literatura - Revista Agulha.

A edição setembro/outubro de 2007 da Revista Agulha nº59 já está nas bancas. Editada por Floriano Martins & Cláudio Willeagulha, é um óasis de qualidade em meio a boçalidade reinante....

September 25, 2007, 4:19 pm
Pablo Neruda - Versos na tarde - 10/06/2016

Mulher Remota Pablo Neruda¹ Esta mulher cabe em minhas mãos. É branca e ruiva e em minhas mãos a levaria como uma cesta de magnólias. Esta mulher cabe em meus...

June 10, 2016, 9:00 pm