• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Opinião – E o bê-a-bá…

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Analfabetismo.Blog do Mesquita,EducaçãoEnquanto o apedeuta do agreste e o sociólogo da entregação batem – aquele, literalmente com a língua nos dentes, e esse, com a boca mole dos servis – boca, a educação a escolar vai pro brejo onde já se encontram as vacas do Renan.

Relatório de órgão ligado a revela a tragédia da educação brasileira, que está atolada, no tal brejo, nos últimos lugares do “ranking” mundial. Pelos índices, os analistas acordam que a escola particular é ruim e a pública é inqualificável.

Fico imaginando se essas provas fossem aplicadas a alguns paleolíticos membros da casa que já abrigou Machado de Assis.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

A taba dos tupiniquins ficou em 52º no aprendizado de ciências, em 53º no de matemática e em 48º no de leitura, entre 56 países avaliados.

O país, dos “literatos” “Paulos Coelhos e Sarneys”, causam inversões de valores tais, que colocam as inversões, Sergipe e Roraima à frente de São Paulo. Este, encolhido na garoa da mediocridade educacional, não conseguiu superar aqueles na média em nenhuma das três áreas – ciências, matemática e leitura.

O estado mais desenvolvido do país, terra de Monteiro Lobato – nasceu em Taubaté – saliente-se, é o charco de onde jorrou o PT e é seguidamente governado pelo PSDB.

Na terra do Ribamar, – comandado desde o cretáceo pelo ex-presidente da República, ex-governador, ex-presidente do Senado, o “aiiiiiiiiiinda” Senador José Sarney (PMDB), e ainda por cima (sic) Membro da Academia Brasileira de Letras -, o Maranhão, que nos honrou com Gonçalves Dias – nasceu em Caxias – os “Maribondos de Fogo” ferroaram os neurônios dos alunos.

O Maranhão foi o pior dos piores em tudo! Em ciências, em matemática e em leitura. Uáu!
Apesar disso, ou por causa disso, é que não é explicável a pirotecnia comemorativa governamental dos áulicos petistas, pelo fato do Brasil ter alcançado o “honroso” septuagésimo lugar, por sinal o último, entre os países com alto(sic) desenvolvimento humano, o tal do IDH.

A mazela educacional brasileira trafega desde a carroçável qualificação dos professores, patina nos salários humilhantes pagos aos mestres e engarrafa na sala de estar da casa grande.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me