• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

OI – Minoritários questionam indicações do BNDES para o Conselho da Operadora

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

OI,Blog do Mesquita“Atitude reforça as suspeitas de cumplicidade em crimes que lesaram a população”

A Oi tem dois novos administradores nos cargos que estavam vagos no Conselho, com mandato até 2018 — Marcos Duarte Santos e Ricardo Reisen de Pinho.

De acordo com informações do jornal português Público, apesar de os dois brasileiros terem a categoria de administradores independentes, seus nomes teriam sido sugeridos pelo BNDES.

“Esta atitude reforça as suspeitas de cumplicidade do BNDES em crimes que lesaram a população brasileira através da OI”, alerta Aurélio Valporto, vice-presidente da Associação Nacional de Proteção dos Acionistas Minoritários (ANA).[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

A ANA já tinha entrado no início deste mês com uma representação no Ministério Público Federal (MPF), para apurar a origem e a autoria da evolução da dívida bilionária da Oi após a fusão com a Portugal Telecom, entre delitos e crimes verificados pela entidade.

O caso foi encaminhado para a procuradora Carmen Santanna, que deve receber o documento no dia 23 de agosto. Na ocasião, Valporto comentou com o JB sobre a omissão do BNDES em relação às denúncias de irregularidades. O BNDES tem quase 5% do capital da Oi.

“Aconteceu o que eu supunha. Como o BNDES aceita colocar dois membros, ainda que independentes, em um conselho que dolosamente omite-se na defesa dos direitos da companhia?”, questiona Valporto.

“Vamos acompanhar de perto o comportamento destes dois conselheiros. Se nada fizerem no sentido de reaver recursos desviados do povo brasileiro através da empresa, também serão pessoalmente responsabilizados.”

Valporto sustenta que a indicação dos dois brasileiros foi uma tentativa de “dar credibilidade a esse conselho omisso e criminoso”. “Eu não esperava isso da administração Maria Silvia. Os próximos passos desses conselheiros serão fundamentais para verificarmos se este é um gesto de apoio do BNDES a um conselho que age dolosamente ou se foram colocados lá para resolver problemas da companhia. A começar por reaver os valores desviados.”

No documento apresentado ao MPF, a associação de minoritários levanta uma série de delitos e crimes que envolveram a integralização do capital da Oi pela Portugal Telecom SGPS S.A., agora Pharol SGPS S.A, e também a omissão de informações por parte do Santander.

A Portugal Telecom fazia parte do mesmo grupo da Rioforte, e aportou títulos podres desta ao capital da Oi, sem o conhecimento dos acionistas.

“A Oi S.A, de forma incompreensível, ignorou a perda ocorrida e não buscou reaver os valores”, diz a representação da ANA. De acordo com Valporto, novos documentos que indicam fraudes na Oi têm surgido.

Valporto também reforça que Otávio Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez, sócia da Oi que participou da negociação do aumento de capital contestada pelos minoritários, pode ter muito a esclarecer sobre a fusão entre Oi e Portugal Telecom. Azevedo fez acordo de delação premiada na Lava Jato.

A indicação de dois conselheiros que teriam ligação com o BNDES mostra ainda que o grupo português que tenta dominar a Oi tenta também envolver o governo na empresa, afirmando que os dois novos membros pertencem ao BNDES.

O grupo português que tenta dominar a Oi escondeu no baú o Grupo Espírito Santo, conhecido como tradicional financiador do governo do ditador Salazar. E hoje ele dá desfalque na empresa de brasileiros, usa o BNDES como se aqui fosse sua colônia, e ainda esconde o grande roubo que seus patrícios fizeram na Oi, de 1,2 bilhão de euros.
Fonte:JB

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me