Octávio Paz – Versos na tarde


Irmandade
Octavio Paz ¹

Sou homem: duro pouco
e é enorme a noite.
Porém olho para cima:
as estrelas escrevem.
Sem entender compreendo:
também sou escritura
e neste mesmo instante
alguém me soletra.

Tradução de Maria Teresa Almeida Pina

¹ Octavio Paz
* Cidade do México, México – 31 de Março de 1914 d.C
+ Cidade do México, México – 20 de Abril de 1998 d.C

[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]


Você leu?: John Locke – Como a justiça dá a todo homem um título


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , ,

Leia também:

Hilda Hist - E por que haverias de querer - Poesia
Hilda Hist - E por que haverias de querer - Poesia

Mas não menti gozo prazer lascívia

October 7, 2019, 6:00 pm
Thiago de Mello - A fruta aberta - Poesia
Thiago de Mello - A fruta aberta - Poesia

Aprendi contigo, amada. Aprendi com a tua beleza

September 21, 2019, 7:15 pm
Abgar Renault - A vida tem uma faca na mão - Poesia
Abgar Renault - A vida tem uma faca na mão - Poesia

...vai sob as unhas, vai direto ao coração,

October 14, 2019, 7:15 pm
Carlos Drummond de Andrade - Eu, etiqueta - Poesia
Carlos Drummond de Andrade - Eu, etiqueta - Poesia

...de ser não eu, mas artigo industrial.Coisa!

October 12, 2019, 6:57 pm
Hannah Arendt - Bondade e sabedoria devem ser inocentes
Hannah Arendt - Bondade e sabedoria devem ser inocentes

Filosofia:O amor à sabedoria e o amor à bondade

October 7, 2019, 6:16 pm
Vinicius de Moraes - A medida do abismo - Poesia
Vinicius de Moraes - A medida do abismo - Poesia

Que grito inútil! Que imenso nada!

September 22, 2019, 8:00 pm