Nilto Maciel – Versos na tarde – 12/03/2014


Dor
Nilto Maciel ¹

Não tenho mal nenhum, senhora minha,
como se fosse puro, imaculado,
como se fosse um anjo, um serafim,
como se fosse deus, imune à dor.

Eu nada sinto, dor nenhuma tenho,
quer na cabeça, quer no amargo peito.
Não tenho mal nenhum, senhora minha,
perfeitamente são me sinto e puro.

Se existe mal em mim, se existe dor,
é a de morrer tão cedo, a pleno sol,
envelhecer como qualquer mortal.

E a dor maior, minha senhora bela,
é dentro d’alma, bem profunda e aguda,
a dor chamada angústia, a dor de ser.

¹ Nilto Maciel
* Baturité,CE – 30 de Janeiro de 1945 d.C


Você leu?: Theodor Adorno – Falar Sempre, Pensar Nunca – Filosofia



[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Leia também:

Eugenio de Andrade - Em louvor ao fogo - Poesia
Eugenio de Andrade - Em louvor ao fogo - Poesia

Arde a luz nos vidros da ternura

September 20, 2019, 7:35 pm
Rene Descartes - Inveja justa e injusta - Filosofia
Rene Descartes - Inveja justa e injusta - Filosofia

O que habitualmente é mais invejado é a glória

October 14, 2019, 7:06 pm
Otacílio Colares - Unicamente - Poesia
Otacílio Colares - Unicamente - Poesia

Amor, desperta... Há um luar, lá fora

October 2, 2019, 6:30 pm
Carlos Drummond de Andrade - Eu, etiqueta - Poesia
Carlos Drummond de Andrade - Eu, etiqueta - Poesia

...de ser não eu, mas artigo industrial.Coisa!

October 12, 2019, 6:57 pm
William Blake - O preço da experiência - Poesia
William Blake - O preço da experiência - Poesia

A sabedoria é vendida num mercado sombrio

October 6, 2019, 6:27 pm
Joaquim Pessoa - As tuas lágrimas
Joaquim Pessoa - As tuas lágrimas

As tuas lágrimas As tuas lágrimas respiram e florescem, o lugar onde te sentas é o rio que corre em sobressalto por dentro de uma árvore, seiva renovada que transporta...

October 6, 2019, 6:50 pm