Mensalão: empate pode favorecer Zé Dirceu


Ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão

Relator do mensalão pode deixar destino de Dirceu para o fim do julgamento. Ao aceitar denúncia em 2007, Barbosa leu decisão sobre ex-ministro após receber ação de todos os réus.

O voto que o relator do processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, começou a apresentar na quinta-feira segue o mesmo modelo usado em 2007, quando o Supremo Tribunal Federal aceitou a denúncia do Ministério Público Federal de forma fatiada. Mas Joaquim mudou a ordem cronológica de analisar os réus em relação há cinco anos.

Naquela época, Barbosa iniciou seu relatório analisando a gestão fraudulenta atribuída à diretoria do Banco Rural.

Agora, focou inicialmente nos desvios de dinheiro público da Câmara dos Deputados.

Veja também


Você leu?: China e Bolsonaro transformam a carne em produto quase de luxo no Brasil


Ayres Britto diz que cumprimento do cronograma do mensalão é incógnita
Embate no STF mostrou falta de diálogo, apontam analistas
PT cogita retirar João Paulo da disputa municipal em Osasco
‘Até minha mequetrefe será condenada’, diz advogado de Geiza
Marcos Valério recebe sem surpresa voto por sua condenação

Se seguir o roteiro de 2007 em relação ao ex-chefe da Casa Civil José Dirceu, o destino do suposto líder da quadrilha será traçado só no fim do julgamento.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Na ocasião, Barbosa só pôs em votação a acusação de formação de quadrilha contra Dirceu depois que todo o plenário já concordara que havia indícios de prática do crime pelos demais integrantes da organização criminosa do mensalão.

Caso as acusações contra Dirceu fiquem mesmo para a conclusão do voto, a tendência é que o ministro Cezar Peluso fique mesmo de fora dessa votação. Na quinta-feira, o relator começou a votar pelo capítulo três da denúncia do MPF.

O texto trata do suposto desvio de dinheiro público ocorrido na Câmara dos Deputados, no Banco do Brasil e no Fundo Visanet.

O primeiro dia do voto foi todo dedicado à Câmara.

A sessão de segunda-feira vai começar com o voto de Lewandowski sobre essa parte do processo.

Depois, os outros nove ministros vão votar.

Em seguida, Barbosa deve analisar supostos desvios de dinheiro do BB.

O foco será o ex-diretor de Marketing do BB Henrique Pizzolato.

Nesse ponto, Luiz Gushiken, ex-ministro da Secretaria de Comunicação, deverá ser absolvido, como pediu o MPF.

Núcleo político deve ficar para o final

Se seguir o rito de 2007, em seguida, Barbosa analisará o crime de lavagem de dinheiro atribuído a dirigentes do Banco Rural e ao chamado núcleo publicitário.

Depois, analisará o item relativo à lavagem de dinheiro atribuída a políticos do PT.

O próximo passo de Barbosa pode ser votar sobre práticas de políticos de partidos da base.

O penúltimo item examinado poderá ser os crimes imputados ao núcleo político, composto por Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares.

Já o último poderá ser a decisão sobre Duda Mendonça e Zilmar Fernandes, acusados de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Ainda, nesse item estão integrantes do Rural e sócios de Marcos Valério.
Carolina Brígido/O Globo

Postado na categoria: Brasil - Palavras chave: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Leia também:

Mediocridade em um país de educação medíocre
Mediocridade em um país de educação medíocre

Certamente você não gosta de ser chamado de medíocre

November 14, 2019, 11:49 am
Qual é o papel do Brasil na luta contra as mudanças climáticas?
Qual é o papel do Brasil na luta contra as mudanças climáticas?

COP25:o país chega sem o protagonismo que tinha

December 2, 2019, 1:32 pm
Incêndios Florestais:Incêndios na Amazônia derretem geleiras andinas
Incêndios Florestais:Incêndios na Amazônia derretem geleiras andinas

Agora, cientistas brasileiros e franceses ligaram os pontos

November 29, 2019, 11:54 am
No desmatamento atual, Amazônia chega a 'ponto de não retorno' em até 30 anos
No desmatamento atual, Amazônia chega a 'ponto de não retorno' em até 30 anos

O desmatamento pode estar levando a Floresta Amazônica para uma situação na qual a floresta não consegue mais se regenerar diante das agressões provocadas pelo homem

November 23, 2019, 12:05 pm
A desigualdade no Brasil é medida pelos dentes
A desigualdade no Brasil é medida pelos dentes

O país dos banguelas

November 30, 2019, 2:18 pm
R$ 7 trilhões por ano: os estudos que tentam calcular quanto a Amazônia, em pé, rende ao Brasil
R$ 7 trilhões por ano: os estudos que tentam calcular quanto a Amazônia, em pé, rende ao Brasil

Seis milhões de brasileiros tiram sustento da floresta

November 25, 2019, 11:24 am