Marca francesa cria tênis com “couro” vegano feito de cascas de uva

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
As novidades foram lançadas na Europa no fim de agosto.

Os dois novos modelos de sneaker da Le Coq Sportif são produzidos em Portugal, com materiais 100% à base de plantas

Tênis - Le Coq Sportif
A indústria da moda já desenvolveu várias alternativas de origem vegetal para o couro. Uma delas é processada na Itália pela empresa Vegea, a partir das cascas de uva que sobram da produção de vinhos e sucos. Esse é o material que dá origem a dois novos modelos de tênis da marca francesa Le Coq Sportif, confeccionados em Portugal: Gaïa e Nérée. As novidades foram lançadas na Europa no fim de agosto.

Design à base de plantas

O modelo Gaïa é um tênis para prática de running com um design casual, inspirado em outros modelos da própria marca, que homenageou ícones do tênis, como Arthur Ashe e Yannic Noah. Enquanto isso, o modelo Nérée tem um visual mais esportivo e retrô, com alguns detalhes em nobuck vegano.

O cabedal dos calçados é feito em couro de cascas de uva, mas esse não é o único detalhe plant-based dos tênis. O solado é feito de borracha, a palmilha é de cortiça e toda a base têxtil, além de cadarços e palmilhas, é de algodão. Cada tênis é marcado com os números da safra em que as uvas foram colhidas.

Gaïa tem quatro esquemas de cores (colorways) diferentes, e Nérée, sete. Os dois modelos prometem baixas emissões de carbono. Ambos estão disponíveis nas lojas próprias e parcerias da Le Coq Sportif, além do e-commerce. Infelizmente, a versão internacional do site da marca não entrega no Brasil.

Tênis Le Coq Sportif
A marca Le Coq Sportif lançou dois tênis com “couro” vegano que prometem baixas emissões de carbono
Imitação de couro Vegea
O material utilizado é processado na Itália pela empresa Vegea, a partir de cascas de uva oriundas da produção de vinhos e sucos
Tênis Gaia - Le Coq Sportif
Um dos resultados foi este modelo, batizado de Gaïa
Tênis Nereer - Le Coq Sportif
Este, mais “esportivo retrô”, é o Nérée
Confecção de tênis Le Coq Sportif
Além do cabedal de couro, os tênis levam algodão na lingueta e nos cadarços
Confecção de tênis Le Coq Sportif
O solado é de borracha e as palmilhas, de cortiça
Confecção de tênis Le Coq Sportif
Os sneakers são confeccionados em Portugal

 

“Couro” de uvas

A Vegea transforma os restos não utilizados de uva, oriundos da produção de vinho e sucos, em couro vegetal por meio de um processo de tratamento e transformação.

“Esses resíduos são, então, transformados em uma pasta que é colocada sobre uma tela de algodão por meio de um revestimento para encontrar seu formato de couro”, explica a Le Coq Sportif no site oficial.

O uso do material vegetal foi uma alternativa interessante já que, em 2019, a marca francesa decidiu não usar mais poliuretano nas peças. Essa espécie de plástico, derivado do petróleo, costuma ser usada em peças de roupa e calçados que imitam o couro animal. Segundo a Le Coq Sportif, o “couro” vegano da Vegea complementa as “gamas naturais” já trabalhadas pela etiqueta.

Os tênis da marca são produzidos há anos entre a França, onde a marca é baseada, e Portugal. O país vizinho foi escolhido por causa do know-how em tênis de couro.

VEGEA/DIVULGAÇÃOPlantação de uvas
Os resíduos da uva dão origem à matéria-prima trabalhada pela Vegea
Uvas sendo colhidas
Colheita das uvas
Uvas sendo processadas
Elas são processadas e transformadas em vinho ou suco
Bagaço de uva
O bagaço resultante é o que dá origem à imitação de couro feita pela empresa
Bagaço de uva sendo processado
Esse material é processado…
Confecção da imitação de couro Vegea
… e transformado em uma pasta, que é colocada sobre uma tela de algodão para ganhar o formato de couro
Confecção da imitação de couro Vegea
O resultado dá origem ao material similar ao couro

Le Coq Sportif

Conhecida por suas roupas, calçados e equipamentos esportivos, a Le Coq Sportif foi fundada em 1882 por Emile Camuset, na comuna francesa de Aube. A marca começou como uma loja de meias. As primeiras peças foram criadas para amigos do fundador, que eram amantes de esportes assim como ele. Na década de 1920, a etiqueta cresceu junto com os esportes profissionais na França, incluindo futebol, rúgbi, basquete e atletismo.

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário