Max Ehrmann – Desiderata – Poesia


Desiderata
Max Ehrmann

Siga tranquilamente entre a pressa e a inquietude,
lembrando-se que há sempre paz no silêncio.
Tanto quanto possível, sem se humilhar,
mantenha boas relações com todas as pessoas.
Fale a sua verdade mansa e claramente e ouça a dos outros,
mesmo a dos insensatos e ignorantes,
pois eles também têm sua própria história.

Evite as pessoas escandalosas e agressivas.
Elas afligem o nosso espírito.
Se você se comparar com os outros,
tornar-se-á presunçoso e magoado,
pois haverá sempre alguém
superior e alguém inferior a você.

Você é filho do Universo,
irmão das estrelas e árvores.
Você merece estar aqui,
e mesmo sem você perceber,
a Terra e o Universo vão cumprir o seu destino.

Desfrute das suas realizações,
bem como dos seus planos.
Mantenha-se interessado em sua carreira,
ainda que humilde,
pois ela é um ganho real na fortuna cambiante do tempo.
Tenha cautela nos negócios,
pois o mundo está cheio de astúcias,
mas não se torne um cético porque a virtude sempre existirá.
Muita gente luta por altos ideais e
em toda a parte a vida está cheia de heroísmo.


Você leu?: Simone de Beauvoir – Para que minha vida me bastasse


Seja você mesmo, principalmente.
Não simule afeição.
Não seja descrente do amor,
porque mesmo diante de tanta aridez e
tanto desencanto ele é tão perene quanto a selva.
Aceite com carinho o conselho dos mais velhos e
seja compreensivo com os arroubos inovadores da juventude.

Alimente a força do espírito
que o protegerá no infortúnio inesperado,
mas não se desespere com perigos imaginários.
Muitos temores nascem do cansaço e da solidão,
e a despeito de uma disciplina rigorosa.
Seja gentil para consigo mesmo.

Portanto, esteja em paz com Deus
como quer que você o conceba e
quaisquer que sejam seus trabalhos e as aspirações.
Na fatigante confusão da vida,
mantenha-se em paz com sua própria alma,
apesar de todas as falsidades,
fadigas e desencantos.
O mundo ainda é bonito.
Seja prudente e faça tudo para ser feliz!

Max Ehrmann, em “Desiderata: um caminho para a vida”. [tradução Iva Sofia Gonçalves Lima]. Edições de Bolso. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2006. (Max Ehrmann, Desiderata, Copyright 1952).

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , ,

Leia também:

Simone de Beauvoir - Para que minha vida me bastasse
Simone de Beauvoir - Para que minha vida me bastasse

Como as coisas se revelam

October 11, 2019, 6:41 pm
30 anos depois, ‘O Conto da Aia’ está mais próximo da realidade
30 anos depois, ‘O Conto da Aia’ está mais próximo da realidade

Faz mais de 30 anos que Margaret Atwood escreveu The Handmaid's Tale

September 18, 2019, 12:12 pm
Mário Quintana - Presença - Poesia
Mário Quintana - Presença - Poesia

É preciso que a tua ausência trescale

October 3, 2019, 7:00 pm
Walt Whitman - Com música forte eu venho - Poesia
Walt Whitman - Com música forte eu venho - Poesia

Eu rufo e bato o tambor pelos mortos

September 30, 2019, 8:00 pm
Joaquim Pessoa - É provável que ainda a ame
Joaquim Pessoa - É provável que ainda a ame

...para cingir-lhe os braços, os seios e as ancas.

September 16, 2019, 6:35 pm
Eugenio de Andrade - Em louvor ao fogo - Poesia
Eugenio de Andrade - Em louvor ao fogo - Poesia

Arde a luz nos vidros da ternura

September 20, 2019, 7:35 pm