Lya Luft – Poesia


Convite
Lya LuftBlog do Mesquita,Concha Marinha

Não sou a areia
onde se desenha um par de asas
ou grades diante de uma janela.
Não sou apenas a pedra que rola
nas marés do mundo,
em cada praia renascendo outra.
Sou a orelha encostada na concha
da vida, sou construção e desmoronamento,
servo e senhor, e sou
mistério

A quatro mãos escrevemos este roteiro
para o palco de meu tempo:
o meu destino e eu.
Nem sempre estamos afinados,
nem sempre nos levamos
a sério.


Você leu?: Martha Medeiros – Versos de amor


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Íbico - Fragmentos - Poesia
Íbico - Fragmentos - Poesia

Eros, novamente, sob as escuras

October 1, 2019, 6:40 pm
Joaquim Pessoa - É provável que ainda a ame
Joaquim Pessoa - É provável que ainda a ame

...para cingir-lhe os braços, os seios e as ancas.

September 16, 2019, 6:35 pm
Neide Archanjo - Já não há cíclopes
Neide Archanjo - Já não há cíclopes

...nem criaturas dormindo de olho aberto

September 19, 2019, 8:00 pm
William Blake - O preço da experiência - Poesia
William Blake - O preço da experiência - Poesia

A sabedoria é vendida num mercado sombrio

October 6, 2019, 6:27 pm
Yeats - E daí? - Poesia
Yeats - E daí? - Poesia

"Tudo está feito", disse ele quando velho

September 23, 2019, 6:18 pm
30 anos depois, ‘O Conto da Aia’ está mais próximo da realidade
30 anos depois, ‘O Conto da Aia’ está mais próximo da realidade

Faz mais de 30 anos que Margaret Atwood escreveu The Handmaid's Tale

September 18, 2019, 12:12 pm