Lioba Happel – Poesia

Nos canaviais espreita aquele que me ama, aquele que me odeia

Boa noite.
Poema
Lioba Happel

Um pequeno movimento no sono e eu já sabia
que estava sendo odiada

Não soltei as amarras dos pesadelos
nem bradei gritos raiventos de guerra

Nenhuma bandeira quis ser hasteada
nenhum desespero descer nas canoas por entre talos

Nos canaviais espreita aquele que me ama, aquele que me odeia
Ódio, ódio – está gostando coraçãozinho?

Nisso alguém estica a língua pra você
e você não sabe se está morrendo

de medo ou amando
assim ofuscada você leva a mão sobre os olhos –

como se estivesse à procura da verdade
se é amor, e não ódio, amor que mata

Amor, volte para os arbustos
deixe os galhos tragarem você

esconda-se na vegetação rasteira
amor desfaleça, amor apodreça, desfaleça…

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e designer gráfico e digital.

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me