Kim McMillen – Quando me amei de verdade – Poesia


Quando me amei de verdade
Kim McMillen¹Literatura,Poesia,Kim McMillen

Quando me amei de verdade
pude compreender
que em qualquer circunstância,
eu estava no lugar certo, na hora certa.
Então pude relaxar.

Quando me amei de verdade
pude perceber que o sofrimento
emocional é um sinal de que estou indo
contra a minha verdade.

Quando me amei de verdade
parei de desejar que a minha vida
fosse diferente e comecei a ver
que tudo o que acontece contribui
para o meu crescimento.

Quando me amei de verdade
comecei a perceber como
é ofensivo tentar forçar
alguma coisa ou alguém
que ainda não está preparado.
– inclusive eu mesma.


Você pode se interessar também sobre: Agostinho Neto – Versos na tarde – 21/07/2017


Quando me amei de verdade
comecei a me livrar de tudo
que não fosse saudável.
Isso quer dizer: pessoas, tarefas,
crenças e – qualquer coisa que
me pusesse pra baixo.
Minha razão chamou isso de egoísmo.
Mas hoje eu sei que é amor-próprio.

Quando me amei de verdade
deixei de temer meu tempo livre
e desisti de fazer planos.
Hoje faço o que acho certo
e no meu próprio ritmo.
Como isso é bom!

Quando me amei de verdade
desisti de querer ter sempre razão,
e com isso errei muito menos vezes.

Quando me amei de verdade
desisti de ficar revivendo o passado
e de me preocupar com o futuro.
Isso me mantém no presente,
que é onde a vida acontece.

Quando me amei de verdade
percebi que a minha mente
pode me atormentar e me decepcionar.
Mas quando eu a coloco
a serviço do meu coração,
ela se torna uma grande e valiosa aliada.

¹Kim McMillen & Alison McMillen, do livro “Quando me amei de verdade”. [tradução Iva Sofia Gonçalves Lima]. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , ,

Leia também:

Manuel Bandeira - Versos na tarde - 17/04/2017

Poema Manuel Bandeira¹ Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo Quero apenas contar-te a minha ternura Ah se em troca de tanta felicidade que me dás Eu te pudesse...

April 17, 2017, 9:01 pm
Paul Valéry - Poesia
Paul Valéry - Poesia

A adormecida Paul Valéry Que segredo incandesces no peito, minha amiga, Alma por doce máscara aspirando a flor? De que alimentos vãos teu cândido calor Gera essa irradiação: mulher adormecida?...

February 14, 2019, 6:55 pm
Rubem Braga - Versos na tarde

Soneto Rubem Braga ¹ Tu, que não foste belo nem perfeito, Ora te vejo ( e tu me vês) com tédio E vã melancolia, contrafeito, Como a um condenado sem...

January 27, 2011, 9:00 pm
Adélia Prado - Versos na tarde - 07/08/2014

Poema esquisito Adélia Prado 1 Dói-me a cabeça aos trinta e nove anos. Não é hábito. É rarissimamente que ela dói. Ninguém tem culpa. Meu pai, minha mãe descansaram seus...

August 7, 2014, 9:00 pm
Adalgisa Nery - Versos na tarde

A espera Adalgisa Nery ¹ Amado... Por que tardas tanto? As primeiras sombras se avizinham E as estrelas iniciam a noite. Vem... Pois a esperança que se acolheu em meu...

October 30, 2010, 9:00 pm
José Américo de Almeida - Fase do dia - 08/08/2015

“Não existem pessoas mais unidas do que aquelas que rondam o mesmo abismo”. José Américo de Almeida

August 8, 2015, 10:58 am