Juan Gelman – Versos na tarde – 25/03/2014


Madrugada
Juan Gelman¹

Sucos do céu molham a madrugada da cidade violenta.
Ela respira por nós.

Somos os que acendemos o amor para que dure,
para que sobreviva a toda a solidão.

Queimamos o medo, olhamos frente a frente a dor
antes de merecer esta esperança.

Abrimos as janelas para lhes dar mil rostos.

¹Juan Gelman
* Buenos Aires, Argentina – 03 de Maio de 1930 d.C
+ Buenos Aires, Argentina – 14 de janeiro de 2014 d.C


Você leu?: John Locke – Como a justiça dá a todo homem um título



[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Leia também:

Otacílio Colares - Unicamente - Poesia
Otacílio Colares - Unicamente - Poesia

Amor, desperta... Há um luar, lá fora

October 2, 2019, 6:30 pm
Michel de Montaigne - Suporte real para a emoção
Michel de Montaigne - Suporte real para a emoção

...se o golpe falhar e ele for ao vento.

September 22, 2019, 8:00 pm
Pablo Neruda - Para não deixar de te amar nunca
Pablo Neruda - Para não deixar de te amar nunca

O fogo tem uma metade de frio

October 10, 2019, 8:15 pm
Rene Descartes - Inveja justa e injusta - Filosofia
Rene Descartes - Inveja justa e injusta - Filosofia

O que habitualmente é mais invejado é a glória

October 14, 2019, 7:06 pm
Artur Eduardo Benevides - Soneto de indagação
Artur Eduardo Benevides - Soneto de indagação

Será tarde, Senhora, será tarde?

September 27, 2019, 6:14 pm
Schopenhauer - O Disfarce da dor - Filosofia
Schopenhauer - O Disfarce da dor - Filosofia

Nossos esforços para banir a dor de nossa vida...

September 27, 2019, 6:24 pm