José Albano – Versos na tarde


Soneto
José Albano ¹

Poeta fui e do áspero destino
Senti bem cedo a mão pesada e dura.
Conheci mais tristeza que ventura
E sempre andei errante e peregrino.

Vivi sujeito ao doce desatino
Que tanto engana, mas. tão pouco dura;
E ainda choro o rigor da sorte escura,
Se nas dores passadas imagino.

Porém, como me agora vejo isento
Dos sonhos que sonhava noite e dia,
E só com saudades me atormento;

Entendo que não tive outra alegria
Nem nunca outro qualquer contentamento
Senão de ter cantado o que sofria.


Você leu?: Geir Campos – Poesia


¹ José de Abreu Albano
* Fortaleza, CE. – 12 de Abril de 1882 d.C
+ Montauban, França – 11 de julho de 1923 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Leia também:

Versos na tarde - Djalma Portela
Versos na tarde - Djalma Portela

Poema dos enamorados Djalma Portela Como sem destino Escrito na palma da mão Caminhando sem rumo Numa vida sem prumo. Dono absoluto, da pior sensação, Momento cruel domina meu coração....

December 23, 2019, 9:00 pm
Simone de Beauvoir - Para que minha vida me bastasse
Simone de Beauvoir - Para que minha vida me bastasse

A literatura aparece quando alguma coisa na vida se desregra

December 22, 2019, 5:00 pm
Simone de Beauvoir - Para que minha vida me bastasse
Simone de Beauvoir - Para que minha vida me bastasse

Escrever é um ofício, dizia-me, que se aprende escrevendo

January 10, 2020, 7:00 pm
Simone de Beauvoir - O tempo é irrealizável
Simone de Beauvoir - O tempo é irrealizável

Onde eu exatamente me encontro?

January 10, 2020, 9:00 pm
Geir Campos - Poesia
Geir Campos - Poesia

Descante Geir Campos Nunca te pedirei o que não possas dar, ai — pedir sombra ao sol, doçura ao mar? Tampouco pedirei mimo que não tenha preço, ai — de...

January 15, 2020, 6:53 pm
Rachel de Queiroz - A Velha Amiga
Rachel de Queiroz - A Velha Amiga

Conversávamos sobre saudade

January 15, 2020, 7:17 pm