Jorge Luis Borges – Poesia


As Causas
Jorge Luis BorgesBlog do Mesquita,Flickr

Todas as gerações e os poentes.
Os dias e nenhum foi o primeiro.
A frescura da água na garganta
De Adão. O ordenado Paraíso.
O olho decifrando a maior treva.
O amor dos lobos ao raiar da alba.
A palavra. O hexâmetro. Os espelhos.
A Torre de Babel e a soberba.
A lua que os Caldeus observaram.
As areias inúmeras do Ganges.
Chuang Tzu e a borboleta que o sonhou.
As maçãs feitas de ouro que há nas ilhas.
Os passos do errante labirinto.
O infinito linho de Penélope.
O tempo circular, o dos estoicos.
A moeda na boca de quem morre.
O peso de uma espada na balança.
Cada vã gota de água na clepsidra.
As águias e os fastos, as legiões.
Na manhã de Farsália Júlio César.
A penumbra das cruzes sobre a terra.
O xadrez e a álgebra dos Persas.
Os vestígios das longas migrações.
A conquista de reinos pela espada.
A bússola incessante. O mar aberto.
O eco do relógio na memória.
O rei que pelo gume é justiçado.
O incalculável pó que foi exércitos.
A voz do rouxinol da Dinamarca.
A escrupulosa linha do calígrafo.
O rosto do suicida visto ao espelho.
O ás do batoteiro. O ávido ouro.
As formas de uma nuvem no deserto.
Cada arabesco do caleidoscópio.
Cada remorso e também cada lágrima.
Foram precisas todas essas coisas
Para que um dia as nossas mãos se unissem.

Foto Flickr


Você pode se interessar também sobre: Nietzsche – Versos na tarde – 06/09/2015


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Maria do Rosário - Versos na tarde - 20/11/2017

A Invenção das Clarabóias Maria do Rosário Pedreira¹ No princípio, aprenderam a ter medo e protegerem-se. Construíram casas de pedra e lama, pequenos refúgios onde não tardaram a sentir-se cada...

November 20, 2017, 9:00 pm
João Cabral de Melo Neto - Versos na tarde - 20/08/2014

Morte e Vida Severina - extrato João Cabral de Melo Neto ¹ "... E não há melhor resposta que o espetáculo da vida: vê-la desfiar seu fio, que também se...

August 20, 2014, 9:00 pm
Nietzsche - Reflexões na tarde

Nietzsche ¹ – (Ecce Homo) “O ressentimento é em si o que está proibido aos doentes – o seu mal: infelizmente, é também a sua tendência mais natural. – Isso...

April 7, 2012, 9:00 pm
Shakespeare - Versos na tarde - 25/09/2017

Soneto II Shakespeare ¹ Passados quarenta invernos sobre a tua fronte, Após cavarem fundos sulcos nos vergéis de tua beleza, O vigor de tua orgulhosa juventude, hoje tão admirada, Será...

September 25, 2017, 9:00 pm
Manoel de Barros - Versos na tarde

Mundo Pequeno Manoel de Barros ¹ extratos do livro "O Livro das Ignorãças" Seleção de Fábio Rocha I O mundo meu é pequeno, Senhor. Tem um rio e um pouco...

April 11, 2010, 9:00 pm
Francisco Carvalho - Fase do dia - 04/05/2013

"Mas o amor não é uma saída. O amor é um mergulho." Francisco Carvalho

May 4, 2013, 10:02 am