IBM quer radiador a água para resfriar Chip

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Os japoneses já andaram tentando resolver o problema. Quanto mais rápido o processamento, mais aquecido se torna o chip. É o óbvio do trabalho é igual a calor. Agora “Big Blue” resolve levar para a prática o que até pouco tempo estava no terreno das idéias.

Chip da IBM refrigerado a água
IBM quer usar água para esfriar nova geração de chip.
Canos minúsculos colocados entre chips são hermeticamente selados.
Uma rede de canos minúsculos com água poderá ser utilizada para esfriar os chips dos computadores de próxima geração da IBM.
Os cientistas da companhia mostraram um protótipo do dispositivo com milhares de canos que são da espessura de um fio de cabelo.

Da BBC

A nova tecnologia foi demonstrada nos chips 3D da IBM, em que os circuitos são colocados um em cima do outro. Esta forma de organizar os chips, verticalmente, ao invés de colocá-los na horizontal, reduz a distância percorrida pela informação, melhora o desempenho do computador e economiza espaço.

“Ao colocarmos os chips um em cima do outro, descobrimos que os sistemas de refrigeração tradicionais, colocados atrás do chip, não funcionam”, disse Thomas Brunschwiler, do Laboratório de Pesquisa da IBM em Zurique.

“Para explorar o potencial de alta performance do chip 3D empilhado, precisamos de refrigeração intercalada (entre as camadas do chip)”, acrescentou.

Obstáculo

O calor é visto como um dos grandes obstáculos na produção de chips menores e mais rápidos.

A produção de calor é resultado da movimentação dos elétrons pelos minúsculos fios que conectam os milhões de componentes de um processador moderno.

O problema piora com o lançamento de chips com mais e mais componentes. A Intel, por exemplo, lançou um processador com 2 bilhões de transistores.

Com isso, os pesquisadores do mundo todo tentam descobrir uma forma mais eficiente de lidar com o calor gerado.

Os sistemas convencionais de esfriamento – como os ventiladores – não funcionam muito bem com a nova tecnologia 3D, que está sendo pesquisada pela IBM e por outras companhias.

Para tentar driblar o problema, os pesquisadores da IBM criaram tubos de apenas 50 micrômetros (ou 50 milionésimos de metro) de diâmetro, colocados entre as camadas individuais.

A água é muito mais eficiente que o ar para absorver o calor. Então, com quantidades minúsculas de água fluindo pelo sistema, os pesquisadores observaram um efeito mais significativo.

A IBM afirma que a nova tecnologia de esfriamento de chip com água poderá ser usada em seus produtos dentro de cinco anos.

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário