Hilda Hirst – Poesia


O poeta inventa viagem, retorno, e sofre de saudade
Hilda HilstArte,Pinturas,Blog do mesquita,Edward Hopper 04

Meu medo, meu terror, é se disseres:
Teu verso é raro, mas inoportuno.
Como se um punhado de cerejas
A ti te fosse dado
Logo depois de haveres engolido
Um punhado maior de framboesas.

E dirias que sim, que tu me lembras.
Mas que a lembrança das coisas, das amigas
É cotidiana em ti. Que não te enganas,
Que o amor do poeta é coisa vã.

Continuarias: há o trabalho, a casa
E fidalguias
Que serão para sempre preservadas.
Se és poeta, entendes. Casa é ilha.
E o teu amor é sempre travessia.

Meu medo, meu terror, será maior
Se eu a mim mesma me disser:
Preparo-me em silêncio. Em desamor.
E hoje mesmo começo a envelhecer.


Você leu?: Júlio Dantas – O Talento na Juventude e na Velhice


Arte: Morning Sun – Edward Hopper – Óleo sobre tela – 115x90cm

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , , ,

Leia também:

Poesia - Eu te amo
Poesia - Eu te amo

...desta palavra eu sei todo o peso.

September 16, 2019, 6:30 pm
Vergílio Ferreira - No fundo somos bons mas abusam de nós
Vergílio Ferreira - No fundo somos bons mas abusam de nós

Os próprios vícios vêm da sua ingenuidade

September 19, 2019, 7:03 pm
Mario Cesariny - Uma Certa Quantidade - Poesia
Mario Cesariny - Uma Certa Quantidade - Poesia

como se é uma nuvem um atelier um astro...

September 6, 2019, 8:06 pm
Clarice Lispector - A imaginação é a base do homem
Clarice Lispector - A imaginação é a base do homem

O determinismo não é um determinismo de fins

August 30, 2019, 5:52 pm
Rousseau - Entendimento Apaixonado
Rousseau - Entendimento Apaixonado

O entendimento humano deve muito às paixões...

September 8, 2019, 7:45 pm
Marcus Cícero - Os limites da amizade
Marcus Cícero - Os limites da amizade

Eis aqui os limites nos quais creio poder encerrar a amizade

September 1, 2019, 7:30 pm