Hilda Hilst – Versos na tarde – 07/09/2016

E por que haverias de querer minha alma
Hilda Hilst¹

por que haverias de querer minha alma
Na tua cama?
Disse palavras líquidas, deleitosas, ásperas
Obscenas, porque era assim que gostávamos.
Mas não menti gozo prazer lascívia
Nem omiti que a alma está além, buscando
Aquele Outro. E te repito: por que haverias
De querer minha alma na tua cama?
Jubila-te da memória de coitos e acertos.
Ou tenta-me de novo. Obriga-me.

¹Hilda de Almeida Prado Hilst
*Jaú, São Paulo – 21 de abril de 1930 d.C
+Campinas, São Paulo – 4 de fevereiro de 2004 d.C
[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Mais artigos

Byron – Poesia – 22/01/2022

Boa noite. Estâncias para Música Byron Alegria não há que o mundo dê, como a que tira. Quando, do pensamento de antes, a paixão expira