Henriqueta Lisboa – Versos na tarde


Serena
Henriqueta Lisboa ¹

Essa ternura grave
que me ensina a sofrer
em silêncio, na suavidade do entardecer,
menos que pluma de ave
pesa sobre meu ser.

E só assim, na levitação da hora alta e fria,
porque a noite me leve,
sorvo, pura, a alegria,
que outrora, por mais breve,
de emoção me feria.

¹ Henriqueta Lisboa
* Lambari, MG. – 15 de Julho de 1904 d.C
+ Belo Horizonte, MG. – 9 de Outubro de 1985 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]


Você leu?: Eugenio de Andrade – O sorriso – Poesia


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Leia também:

Fernando Pessoa - E toda a noite a chuva veio - Poesia
Fernando Pessoa - E toda a noite a chuva veio - Poesia

No som da chuva triste e cheio

November 11, 2019, 7:50 pm
Descartes - Métodos Racionais
Descartes - Métodos Racionais

O primeiro consistia em nunca aceitar como verdadeira qualquer coisa sem a conhecer evidentemente como tal

November 23, 2019, 8:06 pm
Manoel Caixa D'Água - Se as noites envelhecessem - Poesia
Manoel Caixa D'Água - Se as noites envelhecessem - Poesia

A cidade sem porta, as ruas brancas de minha infância que não voltam mais.

December 7, 2019, 7:33 pm
Albert Camus - Frase do dia
Albert Camus - Frase do dia

Amor e envelhecer

November 27, 2019, 10:00 am
Aristóteles - O homem ideal
Aristóteles - O homem ideal

O homem ideal de Aristóteles, entretanto, não é um mero metafísico.

November 21, 2019, 4:28 pm
Confúcio - Tudo é belo?
Confúcio - Tudo é belo?

Tudo é Belo, mas nem todos veem a beleza.

December 7, 2019, 7:48 pm