Helena Verdugo Afonso – Poesia


Insatisfeita
Helena Verdugo AfonsoHelena Verdugo Afonso,Poesia,Literatura

Enfim, posso morrer! Já te beijei
a linda boca perfumada e quente,
num beijo longo, divinal, fremente,
um beijo aonde toda me entreguei..

Não me conheço agora. Já nem sei
se fiz bem, se fiz mal. Minha alma ardente
sofria por um bem que tinha ausente,
e morro na ventura em que fiquei…

É assim, o meu amor: eu, que vivera,
na crença de esperança já perdida,
tenho de ti o bem que apetecera!

Por esse beijo, vivo tão dorida,
que, para ser feliz, antes valera
ficar a desejá-lo toda a vida!..


Você leu?: Elisa Lucinda – Cor-respondência


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , ,

Leia também:

Walt Whitman - A própria carne será um grande poema
Walt Whitman - A própria carne será um grande poema

...e entre os cílios de seus olhos

August 10, 2019, 5:00 pm
Alberto Caeiro - Ontem à tarde um homem das cidades
Alberto Caeiro - Ontem à tarde um homem das cidades

Heterônimo de Fernando pessoa

August 7, 2019, 8:00 pm
Fernando Pessoa - Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do bio
Fernando Pessoa - Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do bio

Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do bio Fernando Pessoa Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio. Sossegadamente fitemos o seu curso e aprendamos Que a vida passa, e...

July 25, 2019, 7:20 pm
Immanuel Kant - A Preguiça como obstáculo à liberdade
Immanuel Kant - A Preguiça como obstáculo à liberdade

É tão cômodo ser menor.

August 11, 2019, 7:02 pm
Elisa Lucinda - Cor-respondência
Elisa Lucinda - Cor-respondência

de versos que nos bolinaram os dois

August 18, 2019, 6:00 pm
Michel de Montaigne - Não há nada tão enjoativo quanto a abundância
Michel de Montaigne - Não há nada tão enjoativo quanto a abundância

O amor bem nutrido e excessivamente submisso logo nos enjoa e cansa

July 29, 2019, 4:28 pm