Hannah Arendt – O valor da obra de arte


Hannah Arendt,Literatura,Blog do MesquitaO Valor da Obra de Arte

A fonte imediata da obra de arte é a capacidade humana de pensar, da mesma forma que a «propensão para a troca e o comércio» é a fonte dos objetos de uso. Tratam-se de capacidades do homem, e não de meros atributos do animal humano, como sentimentos, desejos e necessidades, aos quais estão ligados e que muitas vezes constituem o seu conteúdo.

Estes atributos humanos são tão alheios ao mundo que o homem cria como seu lugar na terra, como os atributos correspondentes de outras espécies animais; se tivessem de constituir um ambiente fabricado pelo homem para o animal humano, esse ambiente seria um não mundo, resultado de emanação e não de criação.

A capacidade de pensar relaciona-se com o sentimento, transformando a sua dor muda e inarticulada, do mesmo modo que a troca transforma a ganância crua do desejo e o uso transforma o anseio desesperado da necessidade – até que todos se tornem dignos de entrar no mundo transformados em coisas, reificados. Em cada caso, uma capacidade humana que, por sua própria natureza, é comunicativa e voltada para o mundo, transcende e transfere para o mundo algo muito intenso e veemente que estava aprisionado no ser.

Hannah Arendt


Você leu?: Adolfo Cascais Monteiro – Aurora


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , ,

Leia também:

Maquiavel - Frase do dia
Maquiavel - Frase do dia

Uma mudança...

August 8, 2019, 12:53 pm
Walt Whitman - A própria carne será um grande poema
Walt Whitman - A própria carne será um grande poema

...e entre os cílios de seus olhos

August 10, 2019, 5:00 pm
Adolfo Cascais Monteiro - Aurora
Adolfo Cascais Monteiro - Aurora

A poesia não é voz – é uma inflexão.

August 17, 2019, 6:45 pm
Vergílio Ferreira - Dizer não
Vergílio Ferreira - Dizer não

Diz NÃO à liberdade que te oferecem...

August 6, 2019, 8:00 pm
Vergílio Ferreira - Um Mundo de Vidas
Vergílio Ferreira - Um Mundo de Vidas

A zona incomensurável dos possíveis

August 7, 2019, 8:00 pm
Fernando Pessoa - Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do bio
Fernando Pessoa - Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do bio

Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do bio Fernando Pessoa Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio. Sossegadamente fitemos o seu curso e aprendamos Que a vida passa, e...

July 25, 2019, 7:20 pm