Freio de arrumação na América Latina

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Está o presidente Lula sendo aconselhado a aproveitar a reunião dos 34 presidentes e chefes de governo dos países da América Latina, em dezembro, em Salvador, para dar um freio de arrumação capaz de conter a agressividade de alguns de nossos “hermanos”. Não seria um ato hostil, muito pelo contrário. Outra vez o Brasil abriria os braços para o entendimento fraterno com nossos vizinhos próximos ou afastados, mas deixando claro estar o País preparado para usar as pernas, podendo dar rasteiras ou, mesmo, tiros-de-meta.

Seria um alerta, em especial para Evo Morales, da Bolívia, Rafael Correa, do Equador, Hugo Chávez, da Venezuela, e Fernando Lugo, do Paraguai. Porque, cada qual a seu modo, eles vêm espetando a onça com vara curta. Ou se acomodam ou terão muito mais a perder do que a ganhar.

A linguagem diplomática rejeita mensagens assim tão claras, mas como Lula só freqüenta o Itamaraty em dias de banquete, provavelmente será encontrado um meio termo. Isso no caso de o presidente aceitar conselhos oriundos de seus auxiliares palacianos mais próximos, com ênfase para Marco Aurélio Garcia e Dilma Rousseff.

Não se trata de ameaçar, mas de restabelecer laços com menos pirotecnia no comportamento e nas relações daqueles países com o Brasil. Afinal, não é culpa nossa se os portugueses nos legaram território tão vasto e rico enquanto os espanhóis acompanharam o esquartejador, indo por partes.

A reunião na capital baiana cuidará de temas específicos, como livre comércio, cooperação tecnológica, unidades políticas e similares, claro que em etapas ainda distantes de resultados concretos. Poderá servir para aproximar as nações situadas abaixo do rio Grande.

Apesar de Barack Obama ainda não ter assumido quando da conferência entre os diversos representantes, é provável que o novo presidente americano venha a dedicar quinze minutos de sua atenção à realidade do continente. De forma ostensiva ou velada, observadores de Washington estarão presentes.

Carlos Chagas – Tribuna da Imprensa

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me