Fatos & Fotos – 08/04/2021

Sua zona de conforto, questão de tempo e lugar, haverá de esgarçar seus sonhos.

Ministro Alexandre de Moraes dando de corrente de moto na totela do Kassio Nunes. E usando referências históricas, citando Lutero, enfim, cada lenhada é uma lasca de osso que salta.


Animando o almoço desta quinta-feira com Bucky Pizzarelli and Pearl Django ‘I’ll See You In My Dreams


Cerâmica de Jim Robison – s/d


Edmund Leighton – s/t s/d


Escultura de Javier Marín
em Campeche,Florianópolis


Brasileiro é tão bonzinho que decidiu privatizar os aeroportos em plena crise do setor. Foi bom, porque o governo lucrou uma mixaria: 3,3 bilhões por 22 aeroportos. Isto é, 150 milhões cada um. Preço de 3 coberturas top na Vieira Souto. Vendemos 22 aeroportos pelo valor de 66 apês! E o “apurado” irá todinho para pagar juros aos bancos.


Ainda sobre o julgamento no STF sobre a abertura de igrejas e templos durante a pandemia. Precisamos começar a combater essa súcia usando os termos deles, inclusive. Esse curral eleitoral e lavanderia de dinheiro em forma de igreja acomoda valores que Cristo não reconheceria: ganância, violência, nacionalismo.


O Estado não pode abrir mão de seu papel de promover a distribuição e aplicação das vacinas segundo o critério mais justo. A iniciativa privada pode e deve colaborar, mas não para atender seus próprios interesses. Saúde e vida não são mercadorias.



Tutankamon II está prenhe de ideias: “FHC tenta criar alternativa contra Lula e Bolsonaro e diz que apoiaria até Ciro Gomes”


Muitos dizem não entender como esse e aquele podem pode falar coisas em defesa do governo. Tolinhos! O que não entendem “anjinhos”? Bem simplesinho: sigam o dinheiro! Governos pagam bem. Difícil é criticá-los, não elogiá-los. Quanto pior um governo, mais caro se torna um elogio e uma defesa. Um governo nefasto é uma mina de ouro. Desenho?


Annemarie Bourke – s/t s/d


Quando e como saíremos desta Matrix? Pessoas eleitas confortáveis em disseminar a desordem, postagens capciosas e sendo pagas pelo erário, oriundo do suor do povo? Igrejas, ricos e milionários não pagam impostos, é ‘privilégio’ tê-los entre nós. Desenho?



Pensando em fatos recentes, compartilho uma reflexão: com quantas pessoas você começou a conversar durante a pandemia, manteve até um papo constante (ex. diário) e deixou de falar aos poucos, até não falar mais, mesmo sem motivo específico?


Um dos metros quadrados mais caros do Rio de Janeiro. Ipanema. Imóvel comercial fechado. Três homens (negros) dormindo na rua. Como a sociedade não se choca com isso? Que tristeza, a miséria que se espalha no Brasil.


Quem não tá apavorado não tá entendendo porra nenhuma.


Os novos ministros, falando no respectivo discurso de posse, falaram entre eles, deles, por eles e para com eles. Nós….. so olhando!


Vincent van Gogh
Fish Drying Barn watercolour.1882


Só tem uma coisa pior que um canalha. Um canalha fanfarrão. Chapecó, cidade elogiada por Bolsonaro no combate à Covid, tem mortalidade maior que a média nacional e está com 97% dos leitos de UTI ocupados.


Vivi para ver o Dória ser chamado de “Comunista” pela manada do insano. Qual substância tóxica que essa manada usa junto a sua alfafa?


Foto do dia
Fotografia de Tiziana Compodoni


Pintura de Kenton Nelson – s/d s/t


Foi aprovado na Câmara dos Deputados o PL 948/2021 que basicamente legaliza o fura fila da vacinação, claro que só para quem é rico e tem condições de pagar pelas doses. Isso é um absurdo inaceitável. A realidade agora é que não há laboratório com vacina eficaz vendendo ao setor privado. A real agora é que privado só terá acesso se gov abrir mão de usar no PNI. Há regras que permitiriam setor privado ajudar mais, mas não no PL948. Projeto inútil e imoral de furar fila. Fim.


José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e designer gráfico e digital.

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me