Eugenio de Andrade – Em louvor ao fogo – Poesia

Arde a luz nos vidros da ternura


Em louvor ao fogo
Eugênio de AndradeArtes Plásticas,Pinturas,Entardecer,Blog do Mesquita 02

Um dia chega
de extrema doçura:
tudo arde
Arde a luz
nos vidros da ternura.
As aves
no branco
labirinto da cal.
As palavras ardem,
a púrpura das naves.
O vento,
onde tenho casa
à beira do outono.
O limoeiro, as colinas.
Tudo arde
na extrema e lenta
doçura da tarde

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

John Locke - Como a justiça dá a todo homem um título
John Locke - Como a justiça dá a todo homem um título

A caridade dá a todo homem um título à totalidade...

October 13, 2019, 7:05 pm
Nietzsche - Mais vale ser surdo que ensurdecido
Nietzsche - Mais vale ser surdo que ensurdecido

Refletir é preciso. Mais vale ser surdo que ensurdecido   Antigamente as pessoas queriam criar-se uma reputação: isso já não basta, a feira tornou-se demasiado vasta; agora é necessário vender...

October 2, 2019, 6:59 pm
Lya Luft - Canção das mulheres - Poesia
Lya Luft - Canção das mulheres - Poesia

me tome nos braços sem fazer perguntas demais...

October 4, 2019, 7:00 pm
David Hume - Inveja e Proximidade
David Hume - Inveja e Proximidade

Não é a desproporção entre nós e os outros

October 20, 2019, 6:36 pm
Hilda Hist - E por que haverias de querer - Poesia
Hilda Hist - E por que haverias de querer - Poesia

Mas não menti gozo prazer lascívia

October 7, 2019, 6:00 pm
Hannah Arendt - Bondade e sabedoria devem ser inocentes
Hannah Arendt - Bondade e sabedoria devem ser inocentes

Filosofia:O amor à sabedoria e o amor à bondade

October 7, 2019, 6:16 pm