loader
Arte | Poesia | Literatura | Humor | Tecnologia da Informação | Design | Publicidade | Fotografia

Eleições 2014: Aécio tem que pedir a unção do tucanato paulista quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Ao incentivar uma coligação entre o PSDB e o PMDB, em torno da Prefeitura da cidade de São Paulo nas urnas de 2012, o senador Aécio Neves jogou um lance de dados em torno de sua candidatura ao Planalto na sucessão presidencial de 2014. Sem dúvida. Ele inclui em sua estratégia o esforço para derrotar Fernando Haddad, candidato do PT, que constituiria uma etapa para abalar a força da liderança exercida pelo ex-presidente Lula e pela presidente Dilma Roussef. É vital para a oposição. Não só a capital paulista, mas também as prefeituras do Rio e Belo Horizonte.

Em Minas, Aécio testará a força de sua base. No Rio, uma incógnita. O PSDB deve concorrer com o deputado Otávio Leite, mas é quase impossível firmar uma aliança viável. Eduardo Paes, com apoio do governador Sergio Cabral, parte buscando a reeleição, desta vez tendo a seu lado um vice indicado pelo PT, Adilson Pires.

Uma corrente do Partido dos Trabalhadores reagiu contrariamente, pensando certamente que uma vitória de Sergio Cabral dificultará a candidatura Lindberg Farias ao governo estadual daqui a três anos. Porém mesmo que haja uma cisão no PT, esta não poderá fortalecer o PSDB. Assim, em termos de Aécio Neves, qualquer desfecho não o beneficiará. O confronto cinge-se ao PMDB e ao PT.

Para o ex-governador mineiro, inclusive, o crescimento do PT no RJ o atrapalhará até mais, em 2014, do que uma eventual vitória de Paes em 2012. Se o PT embalar no Rio, melhor será para a reeleição de Dilma Roussef. Portanto pior para ele próprio, Aécio, que precisa vencer em Belo Horizonte.

O principal oponente será o candidato do PT, talvez Patrus Ananias, que perdeu em 2010 a prévia partidária quanto a vaga do Senado, para Fernando Pimentel. Nas urnas, venceram Aécio e Itamar Franco. Em São Paulo, Aécio Neves ataca o PT. Em Minas é atacado por ele. Assim, enquanto uma névoa de indefinição envolve Rio e Belo Horizonte, uma onda de afirmação de liderança petista estará em disputa na capital do Estado de São Paulo. Isso porque a repercussão do resultado será enorme.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Afinal de contas, o ministro Fernando Haddad é um candidato imposto à legenda pelo comando de Lula. As prévias partidárias, que ele afastou de cogitação, tendiam para a senadora Marta Suplicy, obrigada pelas circunstâncias a retirar-se da disputa. Mas, de fato, ainda não definitivamente. Ela joga com a hipótese de Haddad não decolar como figura de salvação para o PT e de forte importância para a própria Dilma Roussef quando enfrentar o episódio de sua própria sucessão.

A reportagem de Cátia Seabra e Daniela Lima, Folha de São Paulo de sexta-feira 23, destacou bem a articulação desencadeada pelo senador Aécio Neves. A foto que acompanha o texto é de Lula Marques. Aécio, ao mesmo tempo em que incentiva Gabriel Chalita, deixa uma porta aberta para José Serra, uma vez que a candidatura deste deixará para ele o caminho do PSDB totalmente aberto.

O senador mineiro, neste caso, seria o único nome de que a oposição pode dispor. Para Aécio, o ideal seria uma chapa Serra/Chalita, este vice. Mas esta perspectiva não parece interessar ao deputado mais votado do PMDB paulista. Que teria ele a ganhar conquistando a vice? Nada. Teria acrescentado para José Serra e Aécio, distanciando-se em consequência do governo federal.

Para Chalita, no fundo, só a candidatura a prefeito pode interessar. Aécio, sem dúvida, conta com esta hipótese, porém ainda não pode defendê-la enquanto Serra não se definir concreta e totalmente quanto a vir novamente disputar o posto. Estratégico para outubro de 2014. Uma alvorada política para o futuro próximo. Sob a ótica de análise de hoje. Amanhã pode ser diferente. Este é o risco dos comentários e comentaristas.
Pedro do Coutto/Tribuna da Imprensa

Compartilhe a informação:

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

# # # # # # # # # # #

© Copyright 2018 Blog do Mesquita - Direitos Reservados. | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | MBrasil