Carlos Costa – Poesia


Artes Plásticas,Carlos Costa,Blog do Mesquita

Você caracol,
casca, casulo.

A brisa traz o olor
de humores temperados
no sexo, seixo bem rolado
desejo após desejo
tudo de novo reinventado
em tua ostra escâncara.

Arte: Carlos Costa, sem título, 2005,
nanquim sépia Le Franc & Bourgeois, sobre papel, 31x23cm


Você pode se interessar também sobre: Neruda – Versos na tarde – 24/12/2015


Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Padre Antônio Thomaz - Versos na tarde

Post-Laborem Padre Antônio Thomaz ¹ O vento das paixões, na mocidade, Em nossa mente estranho fogo ateia; Nem de leve nossa alma, então, receia Do mar da vida a negra...

October 18, 2010, 9:00 pm
Vicente Huidobro - Versos na tarde - 10/09/2014

Canto II (Fragmento) Vicente Huidobro ¹ As planícies se perdem sob tua graça frágil Se perde o mundo sob teu andar visível Pois todo é artifício quando tu te apresentas...

September 10, 2014, 9:00 pm
Dorothy Parker - Versos na tarde

Cumprimento Dorothy Parker ¹ Para tal minha mãe me aqueceu e me chamava para casa antes do breu e induzia a noite da infância a ficar quieta e me dava...

March 19, 2010, 9:00 pm
Ralph Waldo Emerson - Seguimos a Multidão
Ralph Waldo Emerson - Seguimos a Multidão

Seguimos a Multidão Nos nossos contatos quotidianos seguimos a multidão, deixamo-nos levar por esperanças e temores subalternos, tornamo-nos vítimas das nossas próprias técnicas e implementos, e desusamos o acesso que...

January 9, 2019, 6:57 pm
Carl Sandburg - Versos na tarde

Poema Carl Sandburg ¹ Quero-te como as raízes secas desejam a chuva no verão como o vento deseja as folhas do chão e perdoa dizer tudo isto tão depressa. ¹...

May 10, 2011, 9:00 pm
Sidónio Muralha - Versos na tarde - 19/08/2017

Soneto imperfeito da caminhada perfeita Sidónio Muralha¹ Já não há mordaças, nem ameaças, nem algemas que possam perturbar a nossa caminhada, em que os poetas são os próprios versos dos...

August 19, 2017, 9:00 pm