Camilo Castelo Branco – Literatura


Se queres ser feliz abdica da inteligênciaCamilo Ferreira Botelho Castelo Branco,Literatura,Blog do Mesquita

Os tolos são felizes; eu se fosse casado eliminava os tolos da minha casa. Cada cidadão, que me fosse apresentado, não poderia sê-lo, sem exibir o diploma de sócio da academia real das ciências. Olha, criança, decora estas duas verdades que o Balzac não menciona na «Fisiologia do Casamento». Um erudito, ao pé da tua mulher, fala-lhe na civilização grega, na decadência do império romano, em economia politica, em direito publico, e até em química aplicada ao extracto do espírito de rosas.

Confessa que tudo isto o maior mal que pode fazer à tua mulher é adormecê-la. O tolo não é assim. Como ignora e desdenha a ciência, dispara à queima roupa na tua pobre mulher quantos galanteios importou de Paris, que são originais em Portugal, porque são ditos num idioma que não é francês nem português.

Tua mulher, se tem a infelicidade de não ter em ti um marido doce e meigo, começa a comparar-te com o tolo, que a lisonjeia, e acha que o tolo tem muito juízo. Concedido juízo ao tolo, concede-se-lhe razão; concedida a razão, concede-se-lhe tudo. Ora aí tens porque eu antes queria ao pé de minha mulher o padre José Agostinho de Macedo, em cuecas, do que o barão de Sá coberto com a capa daquele grande piegas José do Egito.

Ris-te?… Se queres ser feliz abdica da inteligência, convence-te, e convence os outras de que és um pária do senso comum, entra nesses camarotes, e diz que a letra do «Barbeiro de Sevilha» é de Voltaire, e a composição do maestro Spinosa; vira-te para a vítima predestinada, e diz-lhe que a música é a voz mística dos anjos confidentes das paixões delirantes, que dos olhos dela deviam partir as inspirações que arrebataram Raphael d’Urbino, que farás autor da «Norma». Se ouvires uma gargalhada insofrida, deixa-os rir; continua; faz-te vítima interessante, acolhe-te à piedade da dama, e fala-me depois…


Você pode se interessar também sobre: Walt Whitman – Versos na tarde – 27/01/2014


Camilo Castelo Branco, in ‘Mistérios de Lisboa (1853)’

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave:

Leia também:

Abgar Renault - Versos na tarde - 18/02/2017

Encantamento Abgar Renault¹ Ante o deslumbramento do teu vulto sou ferido de atônita surpresa e vejo que uma auréola de beleza dissolve em lua a treva em que me oculto....

February 18, 2017, 9:00 pm
Thiago de Melo - Versos na tarde - 17/07/2016

Aprendiz do Espanto Thiago de Mello¹ Não deflorei ninguém. A primeira mulher que eu vi desnuda (ela era adulta de alma e de cabelos) foi a primeira a me mostrar...

July 17, 2016, 9:00 pm
Dante Milano - Versos na tarde

Em forma de amor Dante Milano ¹ Por que me apertas com tanta força? Por que não tiras os olhos dos meus? Teu abraço me esmaga, Teu beijo me sufoca,...

November 18, 2009, 9:00 pm
Théophile Gautier - Frase do dia - 21/09/2014

"Para a mulher, os romances que faz são mais interessantes que os romances que lê." Théophile Gautier

September 21, 2014, 10:02 am
Machado de Assis - Versos na tarde

Livros e flores Machado de Assis ¹ Teus olhos são meus livros. Que livro há aí melhor, Em que melhor se leia A página do amor? Flores me são teus...

June 11, 2010, 9:00 pm
Edgar Lee Masters - Versos na tarde - 09/03/2016

A colina Edgar Lee Masters ¹ ONDE estão Elmer, Herman, Bert, Tom e Charley, O irresoluto, o de braço forte, o palhaço, [o ébrio, o guerreiro? Todos, todos estão dormindo...

March 9, 2016, 9:00 pm