• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Coronavírus: Apple e Google se unem para o rastreamento Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Eles esperam ajudar inicialmente aplicativos de rastreamento de contatos de terceiros a executarem com eficiência.

A Apple e o Google estão desenvolvendo tecnologia para alertar as pessoas se entraram recentemente em contato com outras pessoas infectadas com coronavírus.

Eles esperam ajudar inicialmente aplicativos de rastreamento de contatos de terceiros a executarem com eficiência.

Mas, em última análise, eles pretendem acabar com a necessidade de baixar aplicativos dedicados, para incentivar a prática.

As duas empresas acreditam que sua abordagem – projetada para manter os usuários, cuja participação seria voluntária e anônima – aborda questões de privacidade. Seu método de rastreamento de contatos funcionaria usando os sinais Bluetooth de um smartphone para determinar a quem o proprietário esteve recentemente por tempo suficiente para estabelecer um risco de contágio. Se uma dessas pessoas testasse positivo mais tarde para o vírus Covid-19, um aviso seria enviado ao proprietário original do aparelho.

Nenhum dado de localização GPS ou informações pessoais seriam gravados.

“Privacidade, transparência e consentimento são de extrema importância nesse esforço e esperamos desenvolver essa funcionalidade em consulta com as partes interessadas”, disseram Apple e Google em comunicado conjunto.

“Publicaremos abertamente informações sobre nosso trabalho para que outras pessoas analisem.”

O presidente Trump disse que seu governo precisava de tempo para considerar o desenvolvimento.

“É muito interessante, mas muitas pessoas se preocupam com isso em termos de liberdade de uma pessoa”, disse ele durante uma entrevista coletiva na Casa Branca.

“Vamos dar … uma olhada muito forte e informaremos em breve.”

O supervisor de proteção de dados da União Européia pareceu mais positivo, dizendo: “A iniciativa exigirá uma avaliação mais aprofundada, no entanto, após uma rápida olhada, parece marcar as caixas certas em relação à escolha do usuário, proteção de dados por projeto e interoperabilidade pan-européia”.

Mas outros observaram que o sucesso do empreendimento pode depender da obtenção de pessoas suficientes testadas.

Apple é o desenvolvedor do iOS. Google é a empresa por trás do Android. Os dois sistemas operacionais alimentam a grande maioria dos smartphones em uso.

Alguns países – incluindo Cingapura, Israel, Coréia do Sul e Polônia – já estão usando aparelhos celulares para emitir alertas de contágio por coronavírus.Tecnologia,Internet,Redes,Computadores,Blog do Mesquita,Informática

Outras autoridades de saúde – incluindo o Reino Unido, França e Alemanha – estão trabalhando em iniciativas próprias. E alguns governos municipais nos EUA estão prestes a adotar um aplicativo de terceiros.

Os dois gigantes da tecnologia visam trazer coerência a tudo isso, permitindo que os aplicativos de terceiros existentes sejam atualizados para incluir sua solução.

Isso tornaria os aplicativos interoperáveis, para que o rastreamento de contatos continuasse a funcionar à medida que as pessoas viajassem para o exterior e entrassem em contato com pessoas usando uma ferramenta diferente.

A Apple e o Google estão trabalhando no esforço há cerca de duas semanas, mas não revelaram seus planos externamente até sexta-feira.

Se for bem-sucedido, o esquema poderá ajudar os países a relaxar os bloqueios e as restrições nas fronteiras.

Correspondências por telefone
As empresas pretendem lançar um bloco de construção de software – conhecido como API (interface de programação de aplicativos) – até meados de maio.

Isso permitiria que os aplicativos de outras pessoas fossem executados na mesma base.Ciência,EUA,China,Tecnologia,Computação Quântica

Os registros das identificações digitais envolvidas seriam armazenados em servidores remotos, mas as empresas dizem que elas não poderiam ser usadas para desmascarar a verdadeira identidade de um indivíduo específico.

Além disso, o processo de correspondência de contatos ocorreria nos telefones e não centralmente.

Isso permitiria que alguém soubesse que deveria entrar em quarentena, sem que ninguém mais fosse notificado.

As duas empresas divulgaram detalhes das especificações de criptografia que planejam usar para proteger a privacidade e detalhes do papel que o Bluetooth desempenhará.

Eles esperam que isso convença os ativistas de que sua abordagem pode ser confiável.

A Apple e o Google dizem que outro benefício de sua solução é que os desenvolvedores não arriscariam que as versões iOS e Android de seus aplicativos se tornassem incompatíveis devido a uma atualização de buggy.

Além disso, eles acreditam que seria menos oneroso para a vida útil da bateria do que os atuais sistemas de rastreamento de contatos.

Nenhum aplicativo necessário
A segunda fase da iniciativa envolve a criação de recursos de rastreamento de contato nos sistemas operacionais iOS e Android. Os usuários poderiam ativar e desativar o recurso novamente sem precisar baixar um aplicativo.

Aplicativos de terceiros aprovados ainda poderão interagir com o recurso, se desejado.

A instalação seria entregue por meio de uma futura atualização de software do sistema. Mas as empresas ainda não disseram quando isso aconteceria.

“Esta é uma solução mais robusta”, dizem eles, sugerindo que haveria uma adoção mais ampla se os usuários não precisassem baixar software adicional para si mesmos.Celular,Tecnologia,Economia,Blog do Mesquita

Ele também fornece às empresas a capacidade de desativar facilmente o rastreamento em uma base regional quando a pandemia terminar.

Embora a Apple e o Google esperem que outras pessoas vejam os benefícios de adotar sua abordagem, isso não é garantido.

Um esforço independente – a iniciativa de rastreamento de proximidade de preservação de privacidade pan-europeia (PEPP-PT) – revelou sua própria tentativa de fornecer uma solução centrada na privacidade em 1º de abril.

Cerca de 130 tecnólogos e cientistas estão envolvidos e o grupo já fez contato com vários governos europeus.

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário