loader
Arte | Poesia | Literatura | Humor | Tecnologia da Informação | Design | Publicidade | Fotografia
Quênia,Blog do Mesquita,Meio Ambiente,Sustentabilidade,Blog do Mesquita

Fome, saúde e energia: a tecnologia disruptiva pode ajudar a resolver desafios globais? quinta-feira, 7 de março de 2019

Quênia,Blog do Mesquita,Meio Ambiente,Sustentabilidade,Blog do Mesquita

Cecilia Kangami cozinha com a Envirofit Gas, uma fornecedora de pagamento conforme o uso no Quênia. Foto: Natalia Jidovanu

Cumprir as metas de desenvolvimento sustentável (ODSs) – uma chamada global à ação para erradicar a pobreza, proteger a Terra e promover a paz e a prosperidade – não exigirá apenas todas as mãos no convés, mas também toda tecnologia no convés. A internet das coisas (IoT) e a inteligência artificial (IA) já estão desempenhando um papel fundamental na abordagem dos imensos desafios ambientais e sociais da atualidade, e a adoção dessas tecnologias de forma mais ampla poderia ajudar a escalonar soluções de uma maneira que antes parecia impossível. Entre os potenciais atores-chave estão três empresas sociais disruptivas, que falaram no recente fórum anual do Business Call to Action em Nova York.

Sevamob

Sevamob é uma empresa social indiana que fornece serviços de cuidados de saúde primários em mais de 100 localizações na Índia, África do Sul e Geórgia, EUA. Com suas clínicas “pop-up”, o Sevamob poderia potencialmente atingir milhões de pessoas pobres em comunidades rurais e outras carentes. Mas o que realmente o diferencia é o uso da IA ​​para detectar várias condições médicas – desde deficiências de vitaminas e pequenas infecções de pele, como aftas, até doenças graves, como glaucoma e malária – no local.

Este é um grande negócio em áreas mal servidas, onde as pessoas muitas vezes não conseguem encontrar, muito menos pagar, médicos especialistas, como oftalmologistas e dermatologistas, e onde o envio de amostras para laboratórios distantes pode aumentar os custos e atrasar o tratamento.

O que o técnico da Sevamob faz é usar aprendizado de máquina – um ramo da inteligência artificial que melhora e “aprende” à medida que os dados são introduzidos – para avaliar a urgência dos sintomas, detectar padrões e contar objetos, desde exames de visão, pele e sangue (e logo urina). Por exemplo, com uma amostra de sangue, uma enfermeira usando um microscópio e um aplicativo de smartphone pode diagnosticar imediatamente anemia e malária. O modelo da empresa tem o potencial de detectar mais de 50 condições médicas diferentes apenas do sangue, diz Shelley Saxena, fundadora e CEO.

“O que desenvolvemos é uma plataforma subjacente, à qual qualquer número de condições médicas pode ser adicionado no futuro”, disse Saxena. “Tudo o que precisamos para expandir a plataforma é obter mais dados do paciente e construir o modelo para esses dados”.

À medida que o clima muda, os padrões climáticos estão se tornando mais difíceis de prever e as temperaturas são cada vez mais variáveis. Aqueles de nós que não dependem da agricultura para a nossa subsistência vêem essas mudanças mais claramente no número crescente de eventos climáticos extremos . Mas um evento extremo para um pequeno produtor pode ser algo pouco perceptível fora da agricultura, como temperaturas noturnas que aumentam o suficiente para permitir que insetos ou doenças prosperem, diz John Corbett, CEO e co-fundador de um lugar. Estas pequenas mudanças atmosféricas podem ser tudo o que é necessário para destruir uma colheita.

Por isso, fornece aos agricultores informações, como previsões meteorológicas ultra precisas, que os ajudam a navegar em um clima imprevisível.

No entanto, ao contrário do Sevamob, o modelo de negócios do TheWhere não se limita a servir aos agricultores na base da pirâmide econômica. Esta empresa global não é uma pequena startup – seus clientes incluem produtores comerciais, traders de commodities e formuladores de políticas. Essa ampla gama de clientes permitiu que a empresa continuasse nos negócios e crescesse, mantendo sua missão.

Envirofit International
Para alcançar os clientes na base da pirâmide, a empresa de energia Envirofit usa a tecnologia IoT, que permite que seus clientes comprem gás de cozinha da maneira como fazem todas as suas compras: em pequenas quantidades.

A Envirofit projeta e desenvolve soluções de energia limpa para as famílias que ainda dependem da queima de madeira ou carvão. A sua mais recente inovação é a SmartGas, uma cozinha pré-paga que permite aos clientes pagar apenas 50 cêntimos de cada vez.

“Se você olhar para a forma como os consumidores nos mercados emergentes compram coisas, é em pequenas quantidades diárias”, diz Jessica Alderman, diretor de comunicações da empresa. “Ninguém compra a grande banheira de xampu; eles compram os pacotes de serviço único ”.

E não é apenas a tecnologia, é o modelo de serviço que vem com ela, diz Alderman. A Envirofit instala um medidor inteligente na casa do cliente e entrega o primeiro cilindro de gás. Durante esse processo, os representantes da empresa ensinam aos clientes como usar o sistema com segurança. O cliente usa um aplicativo em seu telefone para adicionar crédito quando precisar, e o medidor dispensa o gás até que o crédito acabe. O medidor então desliga o sistema até que o pagamento seja feito novamente – mas antes que o tanque acabe, o cliente recebe um aviso, para que possa pedir um novo tanque.

“Para o cliente, [nossa tecnologia inteligente] tem um impacto enorme, porque melhora a segurança, o acesso e a acessibilidade”, disse Alderman. “Mas não é apenas o cliente, é uma tecnologia revolucionária para investidores que querem saber para onde também vão os dólares.”

Como o medidor inteligente e o aplicativo de telefone rastreiam o uso de gás, essa tecnologia torna possível medir facilmente – sem a consulta pró-ativa de casa em casa – a adoção do cozimento a gás, pela primeira vez na indústria, diz Alderman.

A medição do impacto tornou-se cada vez mais importante entre os investidores de impacto – aqueles interessados ​​em benefícios sociais e ambientais, assim como retornos financeiros. Assim, fornecer uma ferramenta para medição e, portanto, incentivar o investimento, é apenas mais uma maneira pela qual as tecnologias avançadas podem acelerar a corrida para atender aos ODS.

Compartilhe a informação:

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

# # # # #

© Copyright 2018 Blog do Mesquita - Direitos Reservados. | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | MBrasil