Elisa Lucinda – Versos na Tarde


Poema
Elisa Lucinda¹

Adoro uma bobeira
uma palhaçada
uma palavra à margem
uma idéia engraçada
uma sacanagem
adoro a surpresa da piada
uma indecência boa
adoro ficar à toa fazendo trocadilhos obscenos
com sexo.

Adoro o que não tem nexo
e por isso faz rir
adoro a bobagem pueril
a coisa que não tem rumo
que de repente me escolhe
e me olha.
Preciso da besteira para obter a glória!

¹Elisa Lucinda
* Vitória, ES. – 2 de Fevereiro de 1958 d.C


Você leu?: Eugenio de Andrade – O sorriso – Poesia


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , ,

Leia também:

Pablo Neruda - Se você me esquecer - Poesia
Pablo Neruda - Se você me esquecer - Poesia

Eu quero que você saiba uma coisa/ Você sabe como é isso/Se eu olhar para para a lua cristalina

November 25, 2019, 8:00 pm
Fernando Pessoa - Estou cansado da inteligência - Poesia
Fernando Pessoa - Estou cansado da inteligência - Poesia

Mas só percebo um cansaço no fundo, como baixam na taça

November 27, 2019, 7:58 pm
Roberto Gaefke - Revolução da alma
Roberto Gaefke - Revolução da alma

Aprenda para que não pensem por você.

November 27, 2019, 8:29 pm
Eugenio de Andrade - O sorriso - Poesia
Eugenio de Andrade - O sorriso - Poesia

Era um sorriso com muita luz

December 2, 2019, 6:55 pm
Albert Camus - Mas só há um mundo
Albert Camus - Mas só há um mundo

A felicidade e o absurdo são dois filhos da mesma terra

November 29, 2019, 7:45 pm
René Descartes
René Descartes

Pensarei que o céu, o ar, a terra, as cores, as figuras, os sons, e

November 19, 2019, 7:38 pm