• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Acidente aéreo: Airbus responsabilizada pela Air France no acidente do voo 447

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Voo 447: Air France responsabiliza Airbus pelo acidente

Um ano e meio após a catástrofe do vôo 477 que deixou 228 mortos, o governo francês anuncia uma nova fase de investigação dos destroços da aeronave que caiu no mar, no dia 1 de junho de 2009, quando fazia a rota Rio de Janeiro-Paris.

O anúncio foi feito após a companhia Air France encaminhar à Justiça francesa um relatório em que transfere a responsabilidade pelo acidente à Airbus e à Thales, fabricante francesa dos sensores de velocidade das aeronaves.

A edição de hoje (26) do jornal francês Libération revela que o advogado da companhia, Fernand Garnault, enviou no final do último mês de setembro à juíza Sylvia Zimmermann, encarregada da investigação, um “memorando que culpa violentamente a Airbus”.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O jornal, que teve acesso ao documento, indica que a Air France acusa a Airbus de ter ignorado os numerosos alertas sobre problemas nos sensores de velocidade, os Pitot.

Após terem sido cobertos por uma camada de gelo, esses sensores, fabricados pela Thales, não funcionaram quando a aeronave caiu no Atlântico.

Conforme as conclusões provisórias do Bureau Francês de Investigação e Análise para a Segurança da Aviação Civil (BEA, em francês), o problema no Pitot pode ser um dos fatores do acidente, mas não o único.

A Air France, segundo o advogado da empresa, chegou a relatar problemas nos sensores em 15 ocasiões ocorridas dez meses antes do acidente.

Mesmo assim, segundo ele, tanto a Airbus quanto Thales não fizerem recomendações nem indicaram soluções para que os problemas fossem resolvidos.

“A companhia teve, e ainda tem, o sentimento de que incorretamente a ela foram imputados erros que ela não cometeu”, escreve o advogado da Air France no memorando.

Quanto à investigação, o Ministério de Transporte Francês anunciou que realizará uma quarta fase de busca dos destroços do avião no mar, prevista para fevereiro de 2011.

“Esta campanha de localização utilizará os melhores equipamentos disponíveis atualmente”, declarou o secretário de Estado de Transporte, Thierry Mariani.

Após o acidente ocorrido no ano passado, apenas alguns pedaços da aeronave e cerca de 50 corpos foram encontrados no mar. A caixa preta do avião – com os registros do vôo e a conversa dos pilotos – nunca foi encontrada.

blog do Noblat/LeMonde/Libération

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário