loader
Arte | Poesia | Literatura | Humor | Tecnologia da Informação | Design | Publicidade | Fotografia

Viagem no tempo virtual pode ajudar a superar traumas domingo, 24 de agosto de 2014

Se na vida real não é possível voltar no tempo, uma pesquisa que possibilitava essa viagem em um ambiente de realidade virtual descobriu que a experiência pode até ajudar a superar traumas.

Realidade virtual
As cobaias parecem se identificar muito com os seus corpos virtuais em simuladores

Divulgado na publicação científica Fronteiras da Psicologia, o estudo avaliou 32 participantes que presenciaram, em realidade virtual, um homem abrir fogo dentro de uma galeria de arte e matar cinco pessoas.

No teste, o participante aprendia a controlar um elevador, e sem saber, deixava o assassino subir ao piso superior, onde estavam as vítimas.

Metade dos participantes voltava no tempo para reviver os acontecimentos, mas na segunda vez se deparavam com um dilema moral: não fazer nada e ver cinco pessoas morrerem ou intervir e salvá-las, condenando apenas uma pessoa à morte.

Como era esperado, a maioria das cobaias resolveu intervir e não deixar o assassino subir.

Impacto

No mundo virtual, as pessoas podiam se deslocar e conversar livremente, de forma semelhante à vida real.

O mais interessante, segundo os pesquisadores, foi o impacto emocional que a experiência virtual teve sobre os participantes.

A maioria teve menos sentimentos de culpa e remorso após “voltar no tempo” e salvar mais vidas.

Realidade virtual

No estudo, era possível voltar-se no tempo e desfazer a decisão que tinha custado a vida de cinco pessoas

“Quanto mais eles sentiam a ilusão, maior o senso de sua própria moral”, explicou o co-autor Mel Slater da Icrea (Instituto Catalão de Pesquisa) e da University College London.

“Na realidade virtual, o sistema mais superficial de percepção do cérebro não distingue entre o mundo virtual e o real. E o cérebro considera verdadeiro o que vê e ouve no ambiente.”

Por isso, a equipe afirma que viagens virtuais no tempo podem ajudar a superar transtornos de estresse pós-traumático ou mesmo reavaliar decisões ruins que tenham sido tomadas anteriormente.

Segundo as leis da física, é claro, a viagem no tempo é algo impossível. Mas o principal autor do estudo, Friedman Doron, da Faculdade Ofer de Comunicações, em Israel, disse que a sua equipe chegou o mais perto possível do torná-la possível.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

“A realidade virtual imersiva é muito visceral. As pessoas se escondem atrás da mesa quando levam um tiro. É o mais próximo que podemos chegar a uma viagem no tempo, até que os físicos façam o seu trabalho e inventem uma verdadeira máquina do tempo”, diz.

Realidade virtual

Os participantes podiam ver e ouvir as suas personalidades virtuais anteriores na simulação

O físico Robert Nemiroff, da Universidade de Tecnologia de Michigan, nos Estados Unidos, afirmou que o trabalho é interessante, embora ache isso estranho, já que “a capacidade de mudar o passado não é algo provável de acontecer”.

“Se alguma versão da ‘terapia de viagem no tempo’ pode ajudar as pessoas a tomar melhores decisões no futuro, e a entender melhor suas decisões ruins, apoio a ideia”, disse.

Mas Nemiroff alerta que essa ilusão de mudar o passado pode ter “repercussões negativas” que não foram examinadas.

Para o pesquisador James Broadway, da Universidade da Califórnia em Santa Barbara, as pessoas há tempos fantasiam em voltar no tempo.

“É comum ouvirmos pessoas dizerem: ‘Se naquela época eu soubesse o que seu hoje’. E, apesar de obviamente ser impossível mudar ações do passado, os resultados desse estudo sugerem que essa técnica poderia ser usada para promover uma maior aceitação dos erros no passado, assim como uma melhor capacidade de tomar decisões no futuro.”
Melissa Hogenboom/Repórter de Ciência, da BBC News

Compartilhe a informação:

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

# # #

© Copyright 2018 Blog do Mesquita - Direitos Reservados. | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | MBrasil

Gosta do meu blog? Compartilhe a informação :)