O PT perdeu cerca de 60% das prefeituras. Analistas discutem o peso da do fator corrupção no voto. Em ano dominado pela Operação Lava Jato, em que o assunto corrupção foi mote de manifestações a conversas de bar, o PT saiu como o grande derrotado das eleições municipais. No melhor dos cenários, terá sofrido uma […]

, , , , , , , , , , , , ,

“É uma temeridade quebrar os sigilos bancários de pessoas que têm reputação ilibada. Não existe nada que desabone a sua conduta. Eles são grandes empresários nacionais”. Foi com esse entendimento que cinco dos sete senadores (do PT, PMDB, PSDB, DEM, PP, PR e PSD) da CPI criada no Senado para apurar o escândalo envolvendo o […]

, , , , , , , , , , , , , , ,

Na lista divulgada pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot, salta aos olhos a quantidade de parlamentares do PP. O Partido Progressista tem nada menos que 31 políticos de um total de 49 nomes nessa relação enviada ao STF. São 29 deputados (sendo que 18 estão atualmente exercendo seus cargos) e 3 senadores de um total […]

, , , , , , , , , , , , , ,
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (20 votos, média: 4,95 de 5)
Loading...

Maluf e o fundo poço

Eu que achava que já havíamos alcançado o fundo do poço! Ledo engano. Há ainda um porão onde tais criaturas operam. O PT começa a pagar a conta do apoio do marginal ao Haddad, aquele que não conseguiu administrar o ENEM, mas tem a pretensão de administrar S.Paulo. Com o apoio de Maluf já se […]

, , , , , ,

Fila que anda Dora Kramer/O Estado de S.Paulo Evidente está que a influência do contraventor Carlos Augusto Ramos no mundo da política não se circunscreve ao senador Demóstenes Torres nem ao DEM. O “arco de alianças” inclui governadores e deputados do PSDB, PPS, PT, PTB e PP. Isso ao que se sabe até agora. Entre […]

, , , , , , , , , , , ,

Cai nos braços de Paulo Maluf, o mais corrupto dos corruptos, Alckmin, o último, aparentemente bastião da emplumada moralidade tucana. Para que já teve a imagem associada à integridade e seriedade de Mário Covas, Geraldo Alckmin é mais um político que prefere ter a trajetória política construída pelos caminhos do inferno. Novamente o bordão “fazemos qualquer […]

, , , , , , , , , , , , , ,

E prossegue em evidência o primado ideológico da politicagem Tupiniquim: “fazemos qualquer negócio”! Com esse tipo de união e com o “currículo” do Maluf, Alckmin mostra finalmente a que veio. Na fauna não há camaleão cujo mimetismo possa competir com essa turma. O Editor Olha quem Alckmin atraiu como aliado – Maluf! Após negociações entre […]

, , , , , , ,

A presidente Dilma Rousseff, caso deseje a reeleição, terá o pré-sal, o minha casa minha vida, crescimento do PIP de 5%/ano e a copa do mundo, entre outros trunfos, para turbinar a campanha. Ah, sem esquecer a turma que não deseja a volta do “cara”. A oposição, se é que se pode assim chamar a […]

, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Os palhaços nesse circo eleitoral, minha platéia de Tupiniquins, somos nós. Assistimos e contribuímos com nosso voto, para o tragicômico espetáculo da propaganda eleitoral, que irá ter, provavelmente, um funesto final na pobre e combalida democracia brasileira. Enquanto alguns palhaços oficiais, com o palhaço Tiririca, disputam uma vaga no picadeiro e se apresentam devidamente paramentados, outros, e são os piores, trajando circunspectos e […]

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Brasil: da série “me engana que eu gosto” A máxima dos políticos brasileiros poderia ser “fazemos qualquer negócio”! As ancestrais máscaras do teatro Grego caem bem na face dos trânsfugas. Ideologia nem pensar. Suas (deles) ex-celências são puramente pragmáticos e interesses pessoais estão acima do coletivo. O partido que se lixe. O espetáculo do fisiologismo […]

, , , , , , , , , , , , , , , ,

Em um parlamento onde abundam Sarneys, Barbalhos, Renans e Romeros, é recomendável que os Tupiniquins refreiem a euforia com a entrada em vigor da lei da ficha limpa. A emenda do Senador Dorneles, PP,RJ — esteve, cotado para ser o vice de Serra — foi um autêntico “a opinião pública que se lixe”! Espertamente (?) […]

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Brasil: da série “o tamanho do buraco”! Embora o teatro montado encene somente a tragédia burlesca do Mensalão, a comédia do nefando caixa 2, continua, impunemente, na ribalta. Suas (deles) ex-celências, fazem dos ensinamentos de Marcos Valério a contínua prática de fraudar eleições. Saliente-se que os doares nunca são revelados ao Tupiniquins. Mistérios… Ocultismo eleitoral […]

, , , , , , , , , , , ,
12