loader
Arte | Poesia | Literatura | Humor | Tecnologia da Informação | Design | Publicidade | Fotografia

Octavio Paz – Frases quinta-feira, 17 de agosto de 2017

“Coisas e palavras sangram pela mesma ferida.” Octavio Paz [ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”] Compartilhe a informação:

Octavio Paz – Versos na tarde – 03/05/2016 terça-feira, 3 de maio de 2016

Destino de poeta Octavio Paz¹ Palavras? Sim. De ar e perdidas no ar. Deixa que eu me perca entre palavras, deixa que eu seja o ar entre esses lábios, um sopro erramundo sem contornos, breve aroma que no ar se desvanece. Também a luz em si mesma se perde. (Trad. Haroldo de Campos) ¹Octavio Paz * Cidade do México, México – 31 de Março de 1914 d.C + Cidade do México, México – 20 de Abril de 1998 d.C [ad#Retangulo…

Octavio Paz – Versos na tarde – 23/03/2016 quarta-feira, 23 de março de 2016

Arcos Octavio Paz¹ A Silvina Ocampo Quem canta nas ourelas do papel? De bruços, inclinado sobre o rio de imagens, me vejo, lento e só, ao longe de mim mesmo: 6 letras puras, constelação de signos, incisões. na carne do tempo, ó escritura, risca na água! Vou entre verdores enlaçados, adentro transparências, entre ilhas avanço pelo rio, pelo rio feliz que se desliza e não transcorre, liso pensamento. Me afasto de mim mesmo, me detenho sem deter-me nessa margem, sigo…

Octavio Paz – Versos na tarde – 10/03/2016 domingo, 10 de janeiro de 2016

Escrito com tinta verde Octavio Paz¹ A tinta verde cria jardins, selvas, prados, folhagens onde gorjeiam letras, palavras que são árvores, frases de verdes constelações. Deixa que minhas palavras, ó branca, desçam e te cubram como uma chuva de folhas a um campo de neve, como a hera à estátua, como a tinta a esta página. Braços, cintura, colo, seios, fronte pura como o mar, nuca de bosque no outono, dentes que mordem um talo de grama. Teu corpo se…

© Copyright 2018 Blog do Mesquita - Direitos Reservados. | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | MBrasil