Octavio Paz – Versos na tarde – 03/05/2016

Destino de poeta Octavio Paz¹ Palavras? Sim. De ar e perdidas no ar. Deixa que eu me perca entre palavras, deixa que eu seja o ar entre esses lábios, um sopro erramundo sem contornos, breve aroma que no ar se desvanece. Também a luz em si mesma se perde. (Trad. Haroldo de Campos) ¹Octavio Paz … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Octavio Paz – Versos na tarde – 23/03/2016

Arcos Octavio Paz¹ A Silvina Ocampo Quem canta nas ourelas do papel? De bruços, inclinado sobre o rio de imagens, me vejo, lento e só, ao longe de mim mesmo: 6 letras puras, constelação de signos, incisões. na carne do tempo, ó escritura, risca na água! Vou entre verdores enlaçados, adentro transparências, entre ilhas avanço … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Octavio Paz – Versos na tarde – 10/03/2016

Escrito com tinta verde Octavio Paz¹ A tinta verde cria jardins, selvas, prados, folhagens onde gorjeiam letras, palavras que são árvores, frases de verdes constelações. Deixa que minhas palavras, ó branca, desçam e te cubram como uma chuva de folhas a um campo de neve, como a hera à estátua, como a tinta a esta … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

O Estado e o patrimonialismo brasileiro

Na história brasileira, desde a independência, diferentes modelagens constitucionais foram votadas democraticamente e outras paridas pelos regimes ditatoriais. As diferentes Constituições, elaboradas por constituintes ou as impostas pelo autoritarismo, tem um consenso: o Estado burocrático e patrimonialista é intocável. O notável escritor latino-americano Octávio Paz definiu que “patrimonialismo é a vida privada incrustada na vida … Continued

Postado na categoria: Brasil, Política - Palavras chave: , , , , , , , , ,

Octávio Paz – Versos na tarde – 10/01/2015

Todos os dias te descubro… Octavio Paz ¹ Todos os dias descubro A espantosa realidade das coisas: Cada coisa é o que é. Que difícil é dizer isto e dizer Quanto me alegra e como me basta Para ser completo existir é suficiente. Tenho escrito muitos poemas. Claro, hei de escrever outros mais. Cada poema … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,