Ficções do Interlúdio – extrato Fernando Pessoa¹ Sentir a poesia é a maneira figurada de se viver Eu não sinto a poesia não porque não saiba o que ela é Mas porque não posso viver figuradamente E se o conseguisse tinha de seguir outro modo de me acondicionar A condição da poesia é ignorar como […]

, , , ,

Esta Velha Angústia Fernando Pessoa ¹ Esta velha angústia, Esta angústia que trago há séculos em mim, Transbordou da vasilha, Em lágrimas, em grandes imaginações, Em sonhos em estilo de pesadelo sem terror, Em grandes emoções súbitas sem sentido nenhum. Transbordou. Mal sei como conduzir-me na vida Com este mal-estar a fazer-me pregas na alma! […]

, , ,
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Fernando Pessoa – Frase do dia – 23/12/2016

“Tudo o que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível.” Fernando Pessoa Tweet

, , ,
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Fernando Pessoa – Frase do dia – 15/12/2016

“Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.” Fernando Pessoa Tweet

, , ,

Dói-me a Vida aos Poucos Fernando Pessoa¹ Estou num daqueles dias em que nunca tive futuro. Há só um presente imóvel com um muro de angústia em torno. A margem de lá do rio nunca, enquanto é a de lá, é a de cá, e é esta a razão intima de todo o meu sofrimento. […]

, , , ,
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas ( Seja o primeiro a votar !!! )
Loading...

Fernando Pessoa – Versos na tarde – 21/10/2016

Depois que todo se foram Fernando Pessoa¹ Depois que todos foram E foi também o dia, Ficaram entre as sombras Das áleas do ermo parque Eu e a minha agonia. A festa fora alheia E depois que acabou Ficaram entre as sombras Das áleas apertadas Quem eu fui e quem sou. Tudo fora por todos. […]

, , ,

E toda a noite a chuva veio Fernando Pessoa¹ E toda a noite a chuva veio E toda a noite não parou, E toda a noite o meu anseio No som da chuva triste e cheio Sem repousar se demorou. E toda a noite ouvi o vento Por sobre a chuva irreal soprar E toda […]

, , ,

Se há arte ou ciência para ler a sina Fernando Pessoa¹ Se há arte ou ciência para ler a sina A que em nós o Destino faz de nós, Dá-me que eu a não saiba e que, indivina, Me corra a vida vagamente e a sós. Que quero eu do futuro que não tenho? Que […]

, ,

O horror sórdido do que, a sós consigo Álvaro de Campos/Fernando Pessoa¹ O horror sórdido do que, a sós consigo, Vergonhosa de si, no escuro, cada alma humana pensa. ¹Fernando Antonio Nogueira Pessoa * Lisboa, Portugal – 13 de Junho de 1888 d.C + Lisboa, Portugal – 30 de Novembro de 1935 d.C Tweet

, , , ,

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela Alberto Caeiro ¹ Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela, E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela. Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala, E em cada pensamento […]

, , , ,
1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Fernando Pessoa – Frase do dia – 15/08/2016

“É fácil beijar no rosto. Difícil é chegar no coração” Fernando Pessoa     Tweet

, , ,

O tumulto concentrado da minha imaginação intelectual Fernando Pessoa/Álvaro de Campos ¹ O tumulto concentrado da minha imaginação intelectual… Fazer filhos à razão prática, como os crentes enérgicos… Minha juventude perpétua De viver as coisas pelo lado das sensações e não das responsabilidades. (Álvaro de Campos, nascido no Algarve, educado por um tio-avô, padre, que […]

, , , ,