loader
Arte | Poesia | Literatura | Humor | Tecnologia da Informação | Design | Publicidade | Fotografia

Ana Hatherly – Poesia segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Esta Gente / Essa Gente Ana Hatherly O que é preciso é gente gente com dente gente que tenha dente que mostre o dente Gente que não seja decente nem docente nem docemente nem delicodocemente Gente com mente com sã mente que sinta que não mente que sinta o dente são e a mente Gente que enterre o dente que fira de unha e dente e mostre o dente potente ao prepotente O que é preciso é gente que atire…

Ana Hatherly – Versos na tarde – 31/05/2018 quinta-feira, 31 de maio de 2018

Canto-te Ana Hatherly Canto-te para que tu definitivamente existas Canto o teu nome porque só as coisas cantadas realmente são e só o nome pronunciado inicia a mágica corrente Canto o teu nome como o homem fazia eclodir o fogo do atrito das pedras Canto o teu nome como o feiticeiro invoca a magia do remédio Canto o teu nome como um animal uiva Como os animais pequenos bebem nos regatos depois das grandes feras Canto-te e tu definitivamente existes…

Ana Hatherly – Versos na tarde – 19/05/2018 sábado, 19 de maio de 2018

A verdadeira mão. Ana Hatherly A verdadeira mão que o poeta estende não tem dedos: é um gesto que se perde no próprio acto de dar-se O poeta desaparece na verdade da sua ausência dissolve-se no biombo da escrita O poema é a única a verdadeira mão que o poeta estende E quando o poema é bom não te aperta a mão: aperta-te a garganta Compartilhe a informação:

Ana Hatherly – Versos na tarde – 08/04/2018 domingo, 8 de abril de 2018

Esta Gente / Essa Gente. Ana Hatherly O que é preciso é gente gente com dente gente que tenha dente que mostre o dente Gente que não seja decente nem docente nem docemente nem delicodocemente Gente com mente com sã mente que sinta que não mente que sinta o dente são e a mente Gente que enterre o dente que fira de unha e dente e mostre o dente potente ao prepotente O que é preciso é gente que atire…

Ana Hatherly – Versos na tarde – 01/05/2016 domingo, 1 de maio de 2016

Um poema de amor para domingo Ana Hatherly¹ Se eu pudesse dar-te aquilo que não tenho e que fora de mim jamais se encontra Se eu pudesse dar-te aquilo com que sonhas e o que só por mim poderá ter sonhado Se eu pudesse dar-te o sopro que me foge e que fora de mim jamais se encontra Se eu pudesse dar-te aquilo que descubro e descobrir-te o que de mim se esconde Então serias aquele que existe e o…

© Copyright 2018 Blog do Mesquita - Direitos Reservados. | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | MBrasil

Gosta do meu blog? Compartilhe a informação :)