Hilda Hilst – Versos na tarde


Júbilo, Memória, Noviciado da Paixão
Hilda Hist ¹

(…)

Ama-me.
É tempo ainda.
Interroga-me.
E eu te direi que o nosso tempo é agora.
Esplêndida avidez, vasta ternura
Porque é mais vasto o sonho que elabora
Há tanto tempo sua própria tessitura.
Ama-me.
Embora eu te pareça
Demasiado intensa.
E de aspereza.
E transitória se tu me repensas.

E tu, lúcido, fazedor da palavra,
Inconsentido, nítido

Nós dois passamos porque assim é sempre
É singular e raro este tempo inventivo
Circundando a palavra.
Trevo escuro
Desmemoriado, coincidido e ardente
No meu tempo de vida tão maduro.


Você leu?: Sêneca – Aprenda para que não pensem por você


Sorrio quando penso
Em que lugar da sala
Guardarás o meu verso.
Distanciado dos teus livros políticos?
Na primeira gaveta
Mais próxima à janela?
Tu sorris quando lês
Ou te cansas de ver
Tamanha perdição
Amorável centelha
No meu rosto maduro?

E te pareço bela
Ou apenas te pareço
Mais poeta talvez
E menos séria?
O que pensa o homem
Do poeta? Que não há verdade
Na minha embriaguez
E que me preferes
Amiga mais pacífica
E menos ventura?

Que é de todo impossível
Guardar na tua sala
Vestígio passional
Da minha linguagem?

Eu te pareço louca?
Eu te pareço pura?
Eu te pareço moça?
Ou é mesmo verdade
Que nunca me soubeste?

A memória de nós. É mais. É como um sopro
De fogo, é fraterno e leal, é ardoroso
É como se a despedida se fizesse o gozo
De saber
Que há no teu todo e no meu, um espaço
Oloroso, onde não vive o adeus.

¹ Hilda Hilst
* Jaú, SP – 21 de Abril de 1930 d.C
+ São Paulo, SP. – 4 de fevereiro de 2004 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , , , ,

Leia também:

Quando Nietzsche chorou - Literatura
Quando Nietzsche chorou - Literatura

Reflita para que não pensem por você.

November 11, 2019, 6:58 pm
Albert Camus - Mas só há um mundo
Albert Camus - Mas só há um mundo

A felicidade e o absurdo são dois filhos da mesma terra

November 29, 2019, 7:45 pm
Eugenio de Andrade - O sorriso - Poesia
Eugenio de Andrade - O sorriso - Poesia

Era um sorriso com muita luz

December 2, 2019, 6:55 pm
Lya Luft - Tão sutilmente em tantos breves anos - Poesia
Lya Luft - Tão sutilmente em tantos breves anos - Poesia

...que aos poucos dois são um, sem que no entanto

December 6, 2019, 8:00 pm
Platão - O mito da caverna
Platão - O mito da caverna

Os prisioneiros vão o chamar de louco

November 26, 2019, 8:08 pm
Nietzsche - Quem queríeis vós?
Nietzsche - Quem queríeis vós?

Mantém tuas portas abertas a novos amigos!

November 28, 2019, 7:07 pm