loader
Arte | Poesia | Literatura | Humor | Tecnologia da Informação | Design | Publicidade | Fotografia

Malhando em ferro frio. segunda-feira, 17 de julho de 2017

 Sei ser impossível moldar corações e mente. Mas, também, meu ofício é instigar.

Um facínora, que é o Líder do governo Temer na Câmara, o depufede Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), compra políticos e partidos para alterar a “Lei das Delações Premiadas”.

A intenção dos governistas é a de empurrar as novas regras sobre delação para dentro do Código de Processo Penal, cuja modificação está sendo debatida na Câmara. Presidente da comissão que trata da revisão do código, o deputado Danilo Forte (PSB-CE) já manifestou a intenção de endurecer as regras das delações. Fala em limitar também as conduções coercitivas de investigados.
 
Espero que nas próximas eleições a população use a única arma que tem contra estes bandidos travestidos de políticos, em todos os níveis – corruptos todos o são, por associação, conveniência, convivência e omissão – , que estão fazendo de tudo para se livrarem das punições da forma mais descarada possível. Que a população vote consciente – sim, também padeço de delírios utópicos – e expulse esta máfia que comandam nosso país.
 
Essa legislatura que não tem estatura ética, e moral e esses deputados que propõe essa aberração de proposta, está na contramão de qualquer brasileiro com “bom senso” esses caras deveriam estar escondidos em seus gabinetes de preferência embaixo de suas respectivas mesas.
 
Legislar em prol do crime organizado. Só nesse maldito país onde bandidos canalhas são os próprios legisladores.
A despeito das projeções, eu quero ver se Temer terá dinheiro pra comprar, na Câmara, o restante dos votos de que tanto precisará.
 
É o que o Caetano cantou em “Sampa”, em minha livre interpretação – é o avesso do avesso.
Tem que existir algum parâmetro nos benefícios destas delações. Vejam o caso do doleiro Youseff que foi condenado para cumprir pena de 120 anos, e com o acordo de delação irá cumprir apenas três anos.
 
O fato é que se tirou uma Presidente eleita, com a acusação de crime de responsabilidade – e é crime para impeachment mesmo – com o argumento político de que a economia iria melhorar. Piorou.
Perdemos direito, Estados quebraram, até em reserva ambiental esses canalhas vão mexer, na lei da delação não será diferente.
Foi fácil colocar esta “Orcrim” no Planalto, mas para tirar vai ser difícil. O povo não reage.
Compartilhe a informação:

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

# # #

© Copyright 2018 Blog do Mesquita - Direitos Reservados. | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | MBrasil