1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas ( Seja o primeiro a votar !!! )
Loading...

Autocrítica

A autocrítica é saudável. Fazer mea culpa é sinal de humildade. Mas na traição o defeito está no caráter do traidor e não do traído.

Arte,Pinturas,Blog do Mesquita,Caravaggio,São ToméCARAVAGGIO. A incredulidade de São Tomé. Óleo sobre tela. 107 × 146.1 c. 1601-1603. Sanssouci Picture Gallery
 
Uso constantemente no que escrevo do recurso das metáforas. Da ironia. Do humor ácido. Me recuso a abdicar da sutileza, mas continuam me adjetivando de pro esse ou anti-aquele. Não existe ninguém na face da terra, nem mulher, filhos e netos a quem dou o direito de ler, o que não escrevi. As pessoas estão loucas! Criticam-me por intenção do que não percebem estar embutido nos meus textos. Outras porque eu questiono o que acham que tem que ser unanimidade.
Aí vêm os fanáticos unicelulares cerebral e me (des)qualificam por ousar questionar o que acreditam ser verdade absoluta. Não existe meio termo ou divergência que sobreviva a esta histeria.
As pessoas que me acompanham não visitam a s minha timeline. Costumam topar com os seus posts na infame “Página Inicial” (composta pelos algoritmos do Darth Zuck). Sendo assim, elas não podem fazer uma ideia do que eu pensa no todo. Criticam a partir da manchete do post – desconhecem o “link ver mais” – um artigo isolado sem saber que você já complementou, ou refutou, em outro post subsequente ou anterior, o mesmo tipo de crítica. Para evitar isso eu teria que publicar posts quilométricos. Em cada artigo teria de dizer tudo, adivinhando inclusive possíveis objeções que não foram feitas. É impossível. Não pode haver uma conversação séria no Facebook. É um mosaico feito por um idiota bêbado na borda de um tornado.
“Não uso disfarce, não uso pseudônimo, não dissimulo no rosto o que não sinto no coração. Sou sempre igual a mim mesmo. Não ponho a máscara, como aqueles que pretendem representar um papel de sábios e andam desfilando como macacos vestidos de púrpura e como asnos com pele de leão. Que se vistam com disfarces quanto quiserem, que suas orelhas sobressalientes revelarão sempre um Midas o oculto”
Erasmo de Rotterdam
Termos: