1 Estrelas2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

A cidadania que você não vê por aqui

Da série “Caminhando pela Cidade” – Cidadania

Fotos, flagrantes, Caminhando Pela Cidade, Cidadania - Av. Padre Antônio Tomás 10h 19Dez2008Av. Padre Antônio Tomás, Fortaleza – 08:00 h – 07 de dezembro de 2013
Foto: José Mesquita

Ando registrando as “pequenas” contravenções, cometidas por todos nós, e que achamos não ser significativas para o “kaos” urbano.

É provável que o motorista da foto aí acima, critique – como culpados pelos problemas do país -, o vizinho, o síndico do prédio, as autoridades do trânsito pelos problemas do tráfego, o Vereador, o Prefeito, o Deputado, o Governador, o Senador, o Presidente da República, “et caterva”, e não se ache ele próprio responsável pelo não funcionamento organizado da sociedade através do respeito às leis e aos direitos dos outros.

Metaforicamente, o tecido social é como se fora um grande lençol esticado.

Esse tecido se esgarça, – rasga, rompe -, com pesos, contravenções e outros aparentemente inofensivos “pecadilhos” que sobre ele sejam jogados. É preciso entender os brasileiros, que pequenos desrespeitos às normas estabelecidas, seja aquela simples parada na paralela para deixar o filho no colégio, o papel jogado ao chão, ou a “rápida” estacionada para desembarcar uma mercadoria em um estabelecimento, somados, provocam o mesmo dano ao tecido social, tal e qual um “tijolão” tipo mensalão ou o peso da boiada do Renan Calheiros.

De uma forma ou de de outra, fazemos parte da turma “O Brasil tá errado! Menos eu!”

A zorra urbana na Capital do Ceará, atinge níveis insuportáveis para o cidadão contribuinte. O desrespeito, cotidiano, crescente e acintoso à cidadania e ao direito dos outros, é encarado como natural. Aqueles que reclamam das calçadas ocupadas por mesas, cadeiras, bancas de revistas e expositores de mercadorias, são tachados, no mínimo, de chatos.

Some-se a isto tudo os estacionamento em fila dupla nas portas dos colégios e centros de compras, e o pior, veículos dos mais variados tamanhos, parados em ruas congestionadas nas portas de estabelecimentos enquanto fazem entregas, tornando o tráfego um inferno.

Ah!, não esquecer da praga das músicas, tocadas em volumes tipo rompe-tímpanos, oriunda de bares, botecos e veículos.

Argh!

Termos: , , , , , ,
Trackback

Nenhum Comentário até o momento. Faça o seu também!

Preencha os dados abaixo e faça seu comentário!

Você deve está Logado para comentar.